Filosofia da História Reformulada

Novas variedades de descontinuidade e a espacialização do tempo histórico

Autores

  • Helio Rebello Cardoso Júnior Universidade Estadual Paulista, Assis, São Paulo, Brasil, helio.rebello@unesp.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/rth.v24i1.67886

Palavras-chave:

filosofia da história, pós-narrativismo , descontinuidade

Resumo

Este artigo enfoca um dos muitos resultados da chamada filosofia da história redefinidas, qual seja, a questão da continuidade-descontinuidade. As concepções de tempo histórico de Eelco Runia, Noël Bonneuil e Paul A. Roth serão analisadas como representativas deste assunto no panorama da teoria da história a partir de 2010. Os autores estudados não apenas fornecem evidências de que a descontinuidade histórica permanece viva como um desafio teórico e historiográfico, mas também revelam diferentes arranjos para pensar a relação entre passado, presente e futuro, bem como a transformação histórica. Os conceitos de tempo histórico analisados ​​lembram o modelo de base descontínua de pensar o tempo histórico de Foucault, adicionando ainda a ele diferentes variedades de descontinuidade histórica. Além disso, a questão da continuidade-descontinuidade no novo pano de fundo envolve a operação de tradução do tempo no espaço (espacialização do tempo). Como resultado, as principais características do modelo baseado na descontinuidade do tempo histórico serão resumidas, assim como sua força como uma ferramenta heurística para análises posteriores dos conceitos de tempo histórico será ressaltada.

Biografia do Autor

Helio Rebello Cardoso Júnior, Universidade Estadual Paulista, Assis, São Paulo, Brasil, helio.rebello@unesp.br

Atuando na área de Filosofia desde 1989, mestrado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1991) e doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1995). Em 1999, defendeu tese de livre-docência para ascensão à função de Porf. Associado da Universidade Estadual de Londrina. Em 2006, com nova tese de livre-docência, concursou-se para o cargo de Prof. Adjunto como profesor de Filosofia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Concluiu três pós-doutorados, um deles com o prêmio 2008-2009 Fulbright Scholar Program Advanced Research and University Lecturing Awards; o mais recente junto a Universidade de Paris. 2019-2020 (http://lattes.cnpq.br/7428964121614007).

Referências

BEVERNAGE, Berber. Time, Presence, and Historical Injustice. History and Theory, Vol. 47, No. 2, pp. 149-167, 2008.

BEVERNAGE, Berber; ALMEIDA, Gisele I. de; DELANOTE, Broos; FROEYMAN, Anton; HUIJBERS, Patty; MIEROOP, Kenan Van de. Philosophy of History After 1945: A Bibliometric Study, History and Theory, Vol. 58, No. 3, pp. 406-436, 2019.

BLOCH, Marc. The Historian’s Craft. New York: Vintage Books, 1953.

BONNEUIL, Noël. The Mathematics of Time in History. History and Theory, Vol, 49, No.4, pp 28-46, 2010.

FILLION, Réal. Moving beyond Biopower: Hardt and Negri’s Post-Foucauldian Speculative Philosophy of History. History and Theory, Vol. 44, No. 4, 2005.

FOUCAULT, Michel. Lecture of 10 March 1976. Society Must Be Defended: Lectures at the Collège de France, 1975-1976. Translated by David Macey. New York: Picador, 2003.

FOUCAULT, Michel. Of Other Spaces (1967): Heterotopias. Diacritics, Vol. 16, pp. 22-27, 1986.

FOUCAULT, Michel. Réponse à une question. In: DEFERT, Daniel; EWALD, François; LEGRANGE, Jaques (orgs.). Michel Foucault: Dits et écrits I. 1954-1975. Paris: Gallimard, 2001.

GORMAN, Jonathan. The Limits of Historiographical Choice in Temporal Distinctions. In: LORENZ, Chris; BERVENAGE, Berber (orgs.). Breaking up Time: Negotiating the Borders between Present, Past and Future. Göttingen:

Vandenhoeck & Ruprecht, pp. 155-175, 2013, 155-175.

KASABOVA, Anita. Memory, memorials, and commemoration. History and Theory, Vol. 47, No. 3, pp. 331-350, 2008.

KLEINBERG, Ethan. Introduction: The New Metaphysics of Time. History and Theory, Virtual Issue 1, 2012.

KUUKKANEN, Jouni-Matti. Postnarrativist Philosophy of Historiography. New York: Palgrave Macmillan, 2015.

LORENZ, Chris Lorenz. History and Theory. In: SCHNEIDER, Axel; WOOLF, Daniel (eds.). The Oxford History of Historical Writing. Oxford: Oxford University Press, pp.13-35, 2011.

LORENZ, Chris. The Times They Are A-Chaging. On Time, Space and Periodization in History. In: CARRETERO, Mario. BERGER, Stefan; GREVER, Maria (orgs.). Palgrave Handbook of Research in Historical Culture and Education. London: Palgrave Macmillan, pp. 109-131, 2017.

PAUL, Herman. Key Issues in Historical Theory. Oxon, New York: Routledge, 2015.

PIETERS, Jurgen. New Historicism: Postmodern Historiography between Narrativism and Heterology. History and Theory, Vol. 34, No. 1, 2000.

RANGEL, M. de M.; DE ARAUJO, V. L. Apresentação - Teoria e história da historiografia: do giro linguístico ao giro ético-político. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Vol. 8, No. 17, pp.

-332, 2015.

REVEL, Judith. Discontinuité de la pensée ou pense du discontinu? Foucault, une pensée du discontinu. Paris: Mille et Une Nuits, 2010.

ROTH, Paul A. The Pasts. History and Theory. Vol. 51, No. 3, pp. 313-339, 2012.

RUNIA, Eelco. Presence. History and Theory, Vol. 45, No. 1, pp. 1-29, 2006.

SIMON, Z. B; KUUKKANEN, J-M. Introduction: Assessing Narrativism. History and Theory, Vol. 54, No. 2, pp. 153-161, 2015.

SIMON, Zoltán B. The Transformation of Historical Time: Processual and Evental Temporalities. In: TAMM, Marek; OLIVIER, Laurent (org). Rethinking Historical Time: New Approaches to Presentism. London/New York: Bloomsbury Publishing,

pp. 71-84, 2019a.

SIMON, Zoltán B. Do Theorists of History Have a Theory of History? Reflections on a Non-Discipline. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Vol. 12, No. 29, pp. 53-68, 2019b.

Downloads

Publicado

30-07-2021

Como Citar

Rebello Cardoso Júnior, H. (2021). Filosofia da História Reformulada: Novas variedades de descontinuidade e a espacialização do tempo histórico. Rth |, 24(1), 58–71. https://doi.org/10.5216/rth.v24i1.67886

Edição

Seção

Artigos de dossiê