COLONIALIDADE E POLÍTICA DO ESQUECIMENTO

  • Wagner Vinhas Instituto Federal da Bahia
Palavras-chave: Colonialidade; Política do esquecimento; Intelectualidade negra; Dilema; Corpus teórico

Resumo

O artigo busca refletir o silenciamento da intelectualidade negra brasileira. Reporto-me às estratégias para silenciar homens e mulheres negros cuja prática social consiste naquilo que denominamos por política do esquecimento e cujo mecanismo consiste em se apagar da memória das novas gerações a contribuição de autores negros e negras. É nesse sentido que o dilema da intelectualidade negra no Brasil reside na herança racista do campo intelectual brasileiro - um duplo vínculo – ordem científica e ordem social. Em discordância do que diz a teoria bourdiana, presume-se que o acúmulo de capital específico não pode justificar a ausência de autores negros e negras no campo intelectual brasileiro. Tudo leva a crer que, no Brasil, o que determina a posição no campo intelectual vai além da incorporação de um tipo de capital específico – classe, escolaridade, origem – transferido para o campo intelectual de um espaço social circundante: raça, gênero, classe.

Biografia do Autor

Wagner Vinhas, Instituto Federal da Bahia

Professor de Sociologia do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia-IFBA, Campus Salvador. Doutor em Estudos Étnicos e Africanos pela Universidade Federal da Bahia, UFBA (2016). Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia, UFBA (2010). Bacharel e licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Alagoas, UFAL (2004). Membro do grupo de pesquisa O Som do Lugar e o Mundo. Tem experiências nas áreas de Sociologia e Antropologia, com estudos sobre cultura e Identidade, relações étnicas e raciais, trajetórias.

Referências

AZERÊDO, Sandra. Teorizando sobre gênero e relações raciais. Revista Estudos Feministas, outubro de 1994.

AZEVEDO, Thales de. As elites de cor numa cidade brasileira: um estudo de ascensão social; & Classes sociais e grupos de prestígio. 2. ed.. Salvador, BA: EDUFBA, 1996.

BHABHA, Homi. O local da Cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BOURDIEU, Pierre. Campo de poder, campo intelectual. Buenos Aires: Folios, 1983b.

Publicado
31-07-2020
Como Citar
Vinhas, W. (2020). COLONIALIDADE E POLÍTICA DO ESQUECIMENTO. Revista De Teoria Da História - Journal of Theory of History, 23(1), 204 - 226. https://doi.org/10.5216/rth.v23i1.64768