HISTORIOGRAFIA E VISADA ÉTICA: HAYDEN WHITE E OS PASSADOS PRÁTICOS

  • Walderez Simões Costa Ramalho
  • Augusto Martins Ramires UFOP
  • Leticia Almeida Ferraz UFOP
Palavras-chave: Teoria da História, História da Historiografia, Ética, Representação, Literatura

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão teórica acerca dos passados práticos, conceito que Hayden White lançou em seus últimos trabalhos. Nossa interpretação buscou integrar tanto os textos White, como de historiadores nacionais e estrangeiros que trataram dessa mesma noção, para então lançarmos nossa hipótese, segundo a qual a pertinência teórica da proposta whiteana encontra limites significativos, mas que não deve ser descartada de todo por apresentar um chamado ético fundamental para os historiadores. Esse chamado passa por uma reaproximação entre história e literatura, um dos principais pontos do argumento de White. O artigo se estrutura em três passos: apresentar a ideia de passado prático e sua diferença com o passado histórico segundo White; relacionar essa proposta conceitual com a obra precedente do historiador estadunidense; e fazer um balanço crítico dessa proposta, avaliando as possibilidades e limites de sua aplicação para a História da Historiografia.
Publicado
28-12-2018
Como Citar
Ramalho, W., Ramires, A., & Ferraz, L. (2018). HISTORIOGRAFIA E VISADA ÉTICA: HAYDEN WHITE E OS PASSADOS PRÁTICOS. Revista De Teoria Da História - Journal of Theory of History, 20(2), 106-129. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/teoria/article/view/56509