COTIDIANO, PODER E NEGOCIAÇÃO: REDISCUTINDO CONCEITOS E POSSIBILIDADES INTERPRETATIVAS PARA A ESCRITA DE UMA HISTÓRIA INDÍGENA.

Autores

  • Renata Carvalho Silva

Palavras-chave:

Cotidiano, Poder, Negociação, História, Indígena.

Resumo

O trabalho de renovação analítica promovida pelos estudos culturais à História, a partir da crítica epistemológica dos conceitos e modelos tradicionais, promovido, em grande medida, pela aproximação e pelos debates interdisciplinares, são alguns dos temas aqui discutidos. Aborda-se ainda novas possibilidades interpretativas acerca das relações de poder e da participação dos povos comumente denominados indígenas na construção das historiografias nacionais e regionais no sentido de empreender um reexame relativo a conceitos tais como os de submissão e, ou, vitimização dos mesmos, a partir da utilização de categorias analíticas tais como discurso, cotidiano e resistência simbólica buscando assim perceber, nos espaços deixados pelo projeto civilizador de assimilação dos grupos nativos, brechas para uma possível mediação de interesses e ação política tecidas no cotidiano das experiências vivenciadas por esses mesmos indivíduos.

Biografia do Autor

Renata Carvalho Silva

PPGHIS / UFMA

Downloads

Publicado

30-12-2014

Como Citar

Silva, R. C. (2014). COTIDIANO, PODER E NEGOCIAÇÃO: REDISCUTINDO CONCEITOS E POSSIBILIDADES INTERPRETATIVAS PARA A ESCRITA DE UMA HISTÓRIA INDÍGENA. Rth |, 12(2), 275–291. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/teoria/article/view/33445