Etnografia da ciência e acervos arqueológicos

o arquivo pessoal de Valentin Calderón e sua contribuição para a musealização das coleções no MAE/UFBA

Autores

  • Mara Lúcia Carrett de Vasconcelos MAE/UFBA
  • Celina Rosa Santana MAE/UFBA

Palavras-chave:

Etnografia da ciência, Arquivo Pessoal, Coleção Arqueológica, Museu

Resumo

O Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal da Bahia (MAE/UFBA) tem uma relação intrínseca com Valentin Calderón. Para além de este ter idealizado o Museu, o MAE/UFBA salvaguarda duas coleções relacionadas ao pesquisador: a coleção Valentin Calderón, composta por objetos arqueológicos e pessoais, e seu arquivo pessoal. Nesse contexto, o objetivo desse artigo é discutir as potencialidades dos arquivos pessoais nos museus, dando enfoque à construção de biografias de pesquisadores como subsídio para a elaboração de biografias das coleções e sua preservação. Para isso, apresentamos e discutimos a ideia de biografia através da etnografia da ciência e identificamos as potencialidades e possibilidades do fazer biográfico na musealização do arquivo pessoal de Valentin Calderón. A partir da análise, compreendemos que o fazer biográfico se configura como uma ferramenta de grande potencial para a musealização do arquivo pessoal e da coleção arqueológica de Calderón, oferecendo novas possibilidades de interpretação desses acervos e fornecendo dados para sua documentação, conservação e comunicação.

Biografia do Autor

Mara Lúcia Carrett de Vasconcelos, MAE/UFBA

Doutora em Museologia e Patrimônio pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Mestra em Arqueologia pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Conservadora-restauradora no Museu de Arqueologia da Universidade Federal da Bahia (MAE/UFBA).

Celina Rosa Santana, MAE/UFBA

Especialização em Fundamentos do Ensino da Arte pela Escola de Artes da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Graduação em Licenciatura em Desenho e Plástica pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (EBA/UFBA). Curso Técnico em Conservação e Restauro pela Fundação de Artes de Ouro Preto (FAOP). Técnica em Restauração no Museu de Arqueologia da Universidade Federal da Bahia (MAE/UFBA).

Referências

ARTIERES, P. Arquivar a própria vida. Revista Estudos Históricos: Escrita de si, escrita da história, v. 11, n. 21, Rio de Janeiro: Editora FGV, 1998.

BOURDIEU, P. A ilusão biográfica. In: FERREIRA, M. M.; AMADO, J. Usos e abusos da história oral. Rio de janeiro: Editora FGV, 1998. p. 183-191.

BURKE, P. A invenção da biografia e o individualismo renascentista. Revista Estudos Históricos, v. 10, n. 19, Rio de Janeiro: Editora FGV, 1997. p. 83-98.

CALDERÓN, V. O sambaqui da pedra oca: relatório de uma pesquisa. Salvador: Universidade da Bahia, Instituto de Ciências Sociais, 1964.

DOSSE, F. O desafio biográfico: escrever uma vida. Tradução de Gilson Cesar Cardoso de Souza. São Paulo: EDUSP, 2009. 440 p.

FREHSE, F. Os informantes que jornais e fotografias revelam: para uma etnografia da civilidade nas ruas do passado. Revista Estudos Históricos: Antropologia e Arquivos, v. 2, n. 36, Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005. p. 131-156

HEYMANN, L. Arquivos pessoais em perspectiva etnográfica. In: TRAVANCAS, I.; ROUCHOU, J.; HEYMANN, L. Arquivos pessoais: reflexões multidisciplinares e experiências de pesquisa. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013. p. 67-76.

LATOUR, B. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. Tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: Editora Unesp, 2000. 439 p.

LATOUR, B; WOOLGAR, S. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Tradução de Angela Ramalho Viana. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997. 310 p.

LEVI, G. Usos da Biografia. In: FERREIRA, M. M.; AMADO, J. Usos e abusos da história oral. Rio de janeiro: Editora FGV, 1998. p.167-182.

MACÊDO, Patricia Ladeira Penna; OLIVEIRA, Lucia Maria Velloso. Arquivos pessoais e teoria arquivística: o arranjo como uma função de pesquisa. In: CAMPOS, José Francisco Guelfi. (org.). Arquivos pessoais: experiências e perspectivas [recurso eletrônico]. Associação de Arquivistas de São Paulo – São Paulo: ARQ-SP, 2019, p. 108-127.

MARTIN, G. Pré-história do Nordeste. 2 ed. atual. Recife: Editora Universitária, 1997. 450 p.

PASSOS, A. M. O. Projeto de Pesquisa Histórica da Coleção Valentin Calderón. Monografia de graduação. Departamento de Museologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia. Salvador, 1999.

SANTOS, M C. M. Reflexões museológicas: caminhos de vida. Cadernos de Sociomuseologia, v. 18, n. 18, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, Lisboa, 2002. Disponível em: http://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/issue/view/35/showToc. Acesso em 21 out. 2014.

TANUS, G. F. S. C. A trajetória do ensino da Museologia no Brasil. Museologia e Interdisciplinaridade: Revista do Programa Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília, vol. 2 n. 3, maio/junho, 2013. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/museologia/issue/view/818/showToc.

VASCONCELOS, Mara Lúcia Carrett de; SANTANA, Celina Rosa. Arqueologia e documentos associados: a conservação do arquivo pessoal de Valentin Calderón. In: IV Seminário Preservação do Patrimônio Arqueológico. Anais do IV Seminário Preservação do Patrimônio Arqueológico. Rio de Janeiro: Museu de Astronomia e Ciências Afins, 2016. p. 317-330.

Downloads

Publicado

23-09-2021

Como Citar

CARRETT DE VASCONCELOS, M. L.; ROSA SANTANA, C. Etnografia da ciência e acervos arqueológicos: o arquivo pessoal de Valentin Calderón e sua contribuição para a musealização das coleções no MAE/UFBA. Hawò, [S. l.], v. 2, 2021. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/hawo/article/view/68808. Acesso em: 29 nov. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Museus e coleções arqueológicas: perspectivas antropológicas