Histórias roubadas:

(des)encontros entre arqueólogos, sítios, coleções arqueológicas e os Laklãnõ-Xokleng no Alto Vale do Itajaí, SC

Autores

  • Juliana Salles Machado Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

Laklãnõ Xokleng, Arqueologia Indígena, Coleções arqueológicas, Museus

Resumo

Os museus são espaços de memórias ocidentais, que, como sabemos vem de uma trajetória colonialista de colecionar coisas e posteriormente classificá-las. De lá para cá a ideia de museu foi se transformando, buscando passar à limpo seu passado colonial através da ruptura com práticas e pensamentos que reproduziam a lógica colonial excludente, exotizante e subalternizante, passando a pauta da inclusão de diversos sujeitos e discursos ora silenciados e invisibilizados nas narrativas expográficas e museais. Neste artigo busco trazer um pouco do meu caminhar entre as gavetas do Museu de Arqueologia e Etnologia Oswaldo Rodrigues Cabral da UFSC, numa busca por encontrar os fios que pudessem colocá-las novamente numa rede de memória Laklãnõ Xokleng.

Biografia do Autor

Juliana Salles Machado, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) do Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestre em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. Professora no Departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

ALMEIDA, Fernando Silva de. Arqueologia de caçadores-coletores no Alto Vale do Itajaí. Tese (Doutorado), Departamento de História. UFSC, Florianópolis, 2020.

BETARELLO, Juliana. Caracterização das tecnologias identificadas nas produções dos vestígios líticos de sítios arqueológicos no território Laklaño/Xokleng- Alto Vale do Itajaí. In: Machado, JulianaSalles. ŨTõDénTxiKabel Aqueles que contam histórias. Memória e território Laklãnõ(Xokleng). Relatório (Pós-Doutorado). FAPESP, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, 2015.

BEZERRA, Márcia. O público e o patrimônio arqueológico: reflexões para a arqueologia pública no Brasil. Habitus, v. 1, n. 2, 2003.

BEZERRA, M. Os sentidos contemporâneos das coisas do passado: reflexões a partir da Amazônia. Revista de Arqueologia Pública, v. 7, p. 107, 2013.

BRANDI, Rafael Alcântara. Arqueologia no Vale do Itajaí, SC: registros, revisões e hipóteses. In: Encontro do Núcleo Regional Sul da Sociedade de Arqueologia Brasileira - SAB/Sul, 5, 2006. Anais ... Porto Alegre, [s.n], 2006.

BRUNO, Cristina. Musealização da Arqueologia: caminhos percorridos. Revista de Arqueologia, v. 26/27, 2013/2014.

BUENO, Lucas. Variabilidade tecnológica nos sítios líticos da região do Lajeado, médio rio Tocantins. Tese (Doutorado), MAE/USP, 2005.

CABRAL, Mariana Petry; PEREIRA, Daiane; BEZERRA, Márcia. Patrimônio arqueológico da Amazônia: a pesquisa, a gestão e as pessoas. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Patrimônio do Norte: Outros Olhares para a Gestão, v. 38, 2018.

CORTELLETTI, Rafael. Projeto Arqueológico Alto Canoas – PARACA: um estudo da presença Jê no Planalto Catarinense. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Arqueologia, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, 2012.

EBLE, Alroino B. Problemas arqueológicos da região do alto Vale do Itajaí. Anais do Museu de Antropologia, Universidade Federal de Santa Catarina, 1973.

EBLE, Alroino Baltazares, CATAMCCHIA, Maria C. Sítio Cerâmico Tupi-Gurani no Vale do Itajaí (SC-VI-69). In: Anais do Museu de Antropologia, ano 7, n.1, Florianópolis, 1974.

FARIAS, Deisi Scunderlick Eloy. Distribuição e padrão de assentamento–propostas para os sítios da tradição umbu na encosta de Santa Catarina. Tese (Doutorado), Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da PUCRS, Porto Alegre, fev. 2005.

FERREIRA, Lúcio Menezes. Essas coisas não lhes pertencem: relações entre legislação arqueológica, cultura material e comunidades. Revista de Arqueologia Pública, v. 7, n. 1, 2013. Disponível em: https://doi.org/10.20396/rap.v7i1.8635673.

FONSECA, Jidean Raphael. O conhecimento dos sábios sobre a cerâmica na terra indígena Xokleng/Laklãnõ. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica), Universidade Federal de Santa Catarina, 2015.

ISNARDIS, Andrei. Entre as pedras. As ocupações pré-históricas recentes e os grafismos rupestres da região de Diamantina, Minas Gerais. Tese (Doutorado). Museu de Arqueologia e Etnologia. Universidade de São Paulo, 2009.

KRENAK, Ailton. Antes o mundo não existia. In : ABENSOUR, Miguel, et al. Tempo e história. Companhia das Letras, São Paulo, p.201-204, 1994.

KRENAK, Ailton. Ailton Krenak. Encontros. Sérgio Cohn (org.) Rio de Janeiro. L Azougue, 2015.

LAVINA, RODRIGO. Os Xokleng de Santa Catarina: uma Etnohistória e sugestões para os Arqueólogos. Dissertação (Mestrado) em História. Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS. São Leopoldo, 1994.

LIMA, Tânia. A. Arqueologia na construção da identidade nacional: uma disciplina no fio da Navalha. Canindé, Xingó, n.9, p. 11-24, 2007.

LIMA, Helena Pinto; BARRETO, Cristiana. Uma nova política para um antigo acervo: a redescoberta das coleções arqueológicas do Museu Goeldi. Revista de Arqueologia, v. 33, n. 3, set./dez. 2020.

MACHADO, Juliana Salles; TSCHUCAMBANG, Copacãm; FONSECA, Jidean Raphael. Stones, clay and people among the Laklãnõ Xokleng indigenous people in Southern Brazil. Archaeologies,

v. 16, p. August, 2020.

MACHADO, Juliana Salles. Arqueologias Indígenas, os LaklãnõXokleng e os objetos do pensar. Revista de Arqueologia, v. 30, p. 89, 2017.

MACHADO, Juliana Salles. Caminhos e Paradas. Perspectivas sobre o território Laklãnõ (Xokleng). Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, p. 179-196, 2016.

MACHADO, Juliana Salles. História(s) indígena(s) e a prática arqueológica colaborativa. Revista de Arqueologia, v. 26, p. 72-85, 2013.

MACHADO, Juliana Salles.ŨTÕDÉNTXIKABEL. Aqueles que contam histórias. Memória e território Laklãnõ (Xokleng). Relatório (Pós-Doutorado), FAPESP, Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, 2015.

MACHADO, Juliana Salles. Arqueologia e história nas construções de continuidade na Amazônia. Bol. Mus. Pará. Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 4, n. 1, p. 57-70, jan. abr. 2009.

MATARRESSE, Alejandra. O caminhar e as pedras: estudo de matérias primas líticas de artefatos de abrasão e picoteamento do Alto Vale do Itajaí (SC). No prelo.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

NOELLI, Francisco S. A Ocupação Humana na região sul do Brasil:

Arqueologia, debates e perspectivas 1872-2000. Revista USP, São

Paulo, n.44, 0.218-269, dez./fev., 1999-2000.

NOELLI, Francisco S. Repensando os rótulos e a história dos Jê do

Sul o Brasília partir de uma interpretação interdisciplinar. Revista

do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Suplemento

, p. 285-303, 1999.

OLIVEIRA, João Pacheco de. O nascimento do Brasil e outros ensaios: “pacificação”, regime tutelar e formação de alteridades.

Rio de Janeiro: Contra Capa, 2016.

OPITZ, Gabriela. Community ways and historical paths: a comparative study of socio environmental change on the southern coast of Brazil (5000-600 BP). Projeto de Doutorado, Programa de Antropologia, Universidade de Stanford, 2021.

PATÉ, Osiel. O contato descrito pelos Laklãnõ Xokleng, os descendentes de Kaingang e as trocas de costumes e saberes. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica, Universidade Federal de Santa

Catarina, 2020.

PIAZZA,Walter F. Nota preliminar sobre o PRONAPA no estado de

Santa Catarina. PRONAPA. Belém, Museu Goeldi, Publicações

Avulsas, n. 6, 1967.

PIAZZA, Walter; EBLE, Alroino. Arqueologia do Vale do Itajaí. Sítio Cerâmico Rio Plate (SC-VI-19). Blumenau em Cadernos. TOMOIX, n.1, 1968.

PRIPRÁ, Walderes Coctá. Lugares de acampamento e memória do povo Laklãnõ Xokleng. Dissertação (Mestrado), Departamento de História, Universidade Federal de Santa Catarina, 2021.

REIS, Lucas Bond. Para uma história Jê meridional na longa duração: o contexto em Alfredo Wagner (SC) e a sua inserção regional. Dissertação (Mestrado), Departamento de História, UFSC, 2015.

REIS, Lucas Bond; ALMEIDA, Fernando Silva de; BUENO, Lucas Reis. Entre ‘estruturas e pontas’: o contexto arqueológico do Alto Vale do Itajaí do Sul e o povoamento do Brasil meridional. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 13,

n. 3, p. 597-623, set./dez. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/19

81222018000300007.

SANTOS, Sílvio Coelho dos. Índios e brancos no sul do Brasil: a dramática experiência dos Laklãnõ (Xokleng). Florianópolis: Edeme, 1973.

SCHMITZ, Pedro Ignácio; ARNT, Fúlvio Vinícius; BEBER, Marcus Vinícius; ROSA, André Osório; Jairo Henrique. Taió no Vale do Rio Itajaí, SC: o encontro de antigos caçadores com as casas subterrâneas. São Leopoldo: Instituto Anchieta no de Pesquisas, Pesquisas Antropologia, n. 67, p. 185-320, 2009.

SCHLANGER, S.H. Recognizing persistent places in Anasazis ett lement systems, In: ROSSIGNOL, J.; WANDSNIDER, L. (ed.). Space, time and archaeological landscapes: New York: Springer, 1992. p. 91–112.

SILVA, Fabíola A. As cerâmicas dos Jê do Sul do Brasil e os seus estilos tecnológicos: elementos para uma Etnoarqueologia Kaingang e Xokleng. Revista do CEPA, v. 23, n.30, p. 57-73, 1999.

SILVA, Fabíola A. O plural e o singular das arqueologias indígenas. Revista de Arqueologia, v. 25, n. 2, p. 24-42, 2012.

SILVA, Fabíola A. Arqueologia colaborativa com os Asurini do Xingu: um relato sobre a pesquisa no igarapé Piranhaquara, T.I. Koatinemo. Revista de Antropologia, v. 58, p. 143, 2015.

SILVA, Fabíola A.; BESPALEZ, Eduardo; STUCHI, F. F. Arqueologia colaborativa na Amazônia: terra indígena Kuatinemu, Rio Xingu, Pará. Amazônica: Revista de Antropologia, v. 3, p. 32-59, 2011.

TSCHUCAMBANG, Copacãm. Artefatos arqueológicos no território Laklãnõ/Xokleng-Sc. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica),

Universidade Federal de Santa Catarina, 2015.

WICHERS, Camila. Dois enquadramentos, um mesmo problema: os desafios da relação entre Museus, Sociedade e Patrimônio Arqueológico. Revista de Arqueologia, v.26/27, 2013/2014.

WITTMANN, Luisa Tombini. O vapor e o botoque: imigrantes alemães e índios Xokleng no Vale do Itajaí/SC (1850-1926). Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2007.

ZEDEÑO, M.; BOWSER, B. The archaeology of Meaning fulplaces. In: BOWSER, B.; ZEDEÑO, M. (ed.). The archaeology of meaningful places. [s. l]: The University of Utah Press, 2009.

Downloads

Publicado

23-09-2021

Como Citar

SALLES MACHADO, J. Histórias roubadas: : (des)encontros entre arqueólogos, sítios, coleções arqueológicas e os Laklãnõ-Xokleng no Alto Vale do Itajaí, SC. Hawò, [S. l.], v. 2, 2021. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/hawo/article/view/68725. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Museus e coleções arqueológicas: perspectivas antropológicas