A arte de narrar as (nas) cidades:

etnografia de (na) rua, alteridades em deslocamento

  • Cornelia Eckert Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.
  • Ana Luiza Carvalho da Rocha Universidade Feevale. Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil
Palavras-chave: Etnografia de rua. Cidade praticada. Narrativas etnográficas. Jogos da memória.

Resumo

O artigo aborda os referenciais teórico-conceituais que orientam a prática da etnografia de (na) rua como procedimento de pesquisa antropológica das e nas metrópoles contemporâneas, a partir da experiência desenvolvida pelo Núcleo de Antropologia Visual (Navisual) e pelo Banco de Imagens e Efeitos Visuais (Biev), ambos projetos do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/PPGAS/UFRGS.

Referências

ABALOS JUNIOR, Jose Luís. Um porto em contradição: memória política, engajamento e revitalização urbana na proposta de revitalização do Cais Mauá em Porto Alegre-RS. Orientadora: Cornelia Eckert. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2017.

ADOMILI, Gianpaolo Knoller. Terra e mar, do viver e do trabalhar na pesca marítima: tempo espaço e ambiente junto a pescadores de São José do Norte- RS. Orientadora: Cornelia Eckert. Tese. (Doutorado em Antropologia

Social). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2011.

AGAMBEN, Giorgio. Infância e história: destruição da experiência e origem da história. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005. ANDERSON, Benedict. Imagined communities: reflections on the origin and sprea of nationalism. London: Verso, 1991. AUGE, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da sobremodernidade. 1. ed. francesa. Lisboa: 90 Graus, 1992.BACHELARD, Gaston. A dialética da duração. São Paulo: Ática, 1988.

BACHELARD, Gaston. A intuição do instante. Campinas: Verus, 2007.

BACHELARD, Gaston. O ar e os sonhos, ensaio sobre a imaginação do movimento. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BARRETO FUCHS, Fabrício. A cidade e seus graffiti: uma etnografia de rua na região portuária da cidade de Pelotas/RS. Orientadora: Claudia Turra Magni. 2018. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social e Cultural), Pelotas: UFPEL, 2018.

BENJAMIN, Walter. Charles Baudelaire: um lírico no auge do capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1990. (Obras escolhidas, v.3).

BENJAMIN, Walter. O flâneur. São Paulo: Brasiliense, 1989. (Obras escolhidas, v.3).

BOAVENTURA LEITE, Ilka. Antropologia da viagem. Belo Horizonte: UFMG, 1996.

BOLLE, Willi. Fisiognomia da metrópole moderna: representação da história em Walter Benjamin. São Paulo: USP, 1994.

BRAZ DA SILVA, Camila Braz da Silva. Hotel Rodoviária: escavando imagens e memórias em um processo etnográfico. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso. Orientadora: Cornelia Eckert. (Graduação em Ciências

Sociais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2018.

CABREIRA, Leonardo Palhano. Nas tramas das artes urbanas: uma pesquisa etnográfica com praticantes do grafite na cidade de Porto Alegre.Orientadora: Cornelia Eckert. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso.

(Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2018.

CAIAFA, Janice. Aventura das cidades, ensaios e etnografias. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

CALDEIRA, Teresa. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Edusp, 2000.

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

CAMPOS, Ricardo. Por que pintamos a cidade? Uma abordagem etnográfica do Graffiti urbano. Lisboa: Fim de século, 2010.

CANCLINI, Néstor. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: EDUSP, 1990.

CANEVACCI, Massimo. A cidade polifônica. São Paulo: Studio Nobel, 1993.

DE CERTEAU, Michel. A DA MATTA, Roberto. A casa e a rua. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1984.

DE MELLO, Luciana. Etnografia no bairro Navegantes (Porto AlegreRS). Transformações na paisagem e negociações da memória nos ritmos espaciais e temporais vividos no cotidiano dos habitantes. Orientadora:

Cornelia Eckert. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio do Grande do Sul, 2008.

DELEUZE e GUATTARI. Mille Plateaux, 20 novembre 1923. Paris: Éditions de Minuit, 1980.

DEVOS, Rafael Victorino. Uma Ilha Assombrada na Cidade: estudo etnográfico sobre cotidiano e memória coletiva a partir das narrativas de antigos moradores da Ilha Grande dos Marinheiros, Porto Alegre. Orientadora: Cornelia Eckert. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2003.

DIOGENES, Glória. Entre cidades materiais e digitais: esboços de uma etnografia dos fluxos da arte urbana em Lisboa. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza: v. 46, n. 1, jan./jun. 2015. p. 43-67.

DURAND, Gilbert. A Imaginação Simbólica. Lisboa: Arcádia, 1979.

DURAND, Gilbert. As estruturas antropológicas do imaginário. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

DURHAM, Eunice R. A caminho da cidade. São Paulo: Perspectiva, 1978.

ECKERT, Cornelia, SANTOS, Rafael Derois e Equipe NAVISUAL. Cartas aos Narradores Urbanos, Etnografia de Rua na Porto Alegre das Intervenções Artísticas. Catálogo, Porto Alegre, UFRGS DDC, 2018.

ECKERT, CORNELIA; NAVISUAL, Equipe. Cartas aos narradores urbanos: Etnografia de rua na Porto Alegre das intervenções artísticas. Fotocronografia, v. 02 n. 03, p. 1-126, 2017.

ECKERT, Cornelia; ROCHA, Ana L. C. Etnografia da duração. Porto Alegre: Marca Visual, 2014.

ECKERT, Cornelia; ROCHA, Ana L. C. Etnografia de rua. Porto Alegre: UFRGS, 2015.

ECKERT, Kurt Benno. O sol nasce para todos: histórias narradas para meus netos. Porto Alegre: Gráfica, 2006.

FABIAN, Johannes. O tempo e o outro: como a Antropologia estabelece seu objeto. Petrópolis: Vozes, 2013.

FREITAS, Ana Elisa. Mrür Jykre – a cultura do cipó: territorialidades Kaingang na margem leste do Lago Guaíba, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Orientação: Cornelia Eckert. Porto Alegre: UFRGS, 2005.

FRÚGOLI, Heitor (org.). Dossiê Luz: São Paulo. Ponto Urbe, NAU-USP, São Paulo: n. 11, dez. 2012.

FRÚGOLI, Heitor. Festas populares em Lisboa: uma etnografia a partir do Bairro Alto. Etnográfica, vol. 18, n. 1, CRIA, Lisboa: 2014. p. 77-98.

FRÚGOLI, Heitor. Relações entre múltiplas redes no Bairro Alto (Lisboa). Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 28, n. 82, São Paulo: ANPOCS, 2013. p. 17-30.

GRAEF, Lucas. O mundo da velhice e a cultura asilar: estudo antropológico sobre memória social e cotidiano de velhos no Asilo Padre Cacique em Porto Alegre. Orientador: Cornelia Eckert. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2006.

GRAVANO, Ariel, SILVA, Ana, BOGGI, Silvia (Ed.). Ciudades vividas. Buenos Aires: Café de la Ciudades, 2015.

GRAVANO, Ariel. Antropología de lo barrial: estudios sobre producción simbólica de la vida urbana. Buenos Aires: Espacio Editorial, 2003.

GOMEZ, Guillermo Stefano Rosa. Etnografia da Crise e da Duração Ferroviária em Pelotas/RS: Um estudo antropológico de memória coletiva. Orientação: Cornelia Eckert. Dissertação (Mestrado). Porto Alegre: UFRGS, 2018.

HALL, Stuart. Da diáspora, identidades e mediações culturais. Belo Horizonte e Brasília: Editora UFMG; Unesco, 2003.

HANNERZ, Ulf. Fluxos, fronteiras, híbridos: palavras-chave da antropologia transnacional. Revista Mana, Rio de Janeiro: v.3. n.1, 1997. p. 7-39.

HANNERZ, Ulf. Explorando a cidade. Petrópolis: Vozes, 2015.

HARVEY, David. O direito à cidade. Disponível em:

https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/272071/mod_resource/content/1/davidharvey%20direito%20a%20cidade%20.pdf. Acesso em: 15 junho 2019.

HILLMAN, James. Cidade e alma. São Paulo: Studio Novel, 1993.

HOLSTON, James. A cidade modernista. Uma crítica de Brasília e sua utopia. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

INGOLD, Tim. Estar vivo, ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis: Vozes, 2015.

JACOBS, Jane. Morte e Vida de Grandes Cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

JACQUES, Paola Berenstein. Elogio aos errantes. Salvador: EDUFBA, 2012.

KUBO, Rumi. Coletores de samambaia-preta e a questão ambiental: estudo antropológico na área dos Fundos da Solidão, município de Maquiné, Encosta Atlântica no Rio Grande do Sul. Orientadora: Cornelia Eckert. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à Teoria doAtor-Rede. Salvador/Bauru: Edufba/Edusc,

LE BRETON, David. Eloge de la marche. Paris: Métailié, 2000.

LEFEBVRE, Henri. Le droit à la ville. Paris: Éditions Anthopos, 1968.

LEROI-GOURHAN, André. O gesto e a palavra. 1. Lisboa: Edições 70, 1970.

LEROI-GOURHAN, André. O gesto e a palavra. 2. Lisboa: Edições 70, 1971.

LEVI-STRAUSS, Claude. Tristes trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

LOPO, Rafael Martins. Do IAPI a Saavedra, entre moradas, memórias e estórias: um estudo etnográfico sobre duração e sociabilidade em bairros operários de Porto Alegre e Buenos Aires. Orientadora: Cornelia Eckert.

Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Capes. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

MAFFESOLI, Michel. La Conquête du présent: pour une sociologie de la vie quotidienne. Paris: PUF, 1979.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Da periferia ao centro, trajetórias de pesquisa em Antropologia Urbana. Tese de livre docência. São Paulo: USP, 2012.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Na metrópole: textos de antropologia urbana. São Paulo: EDUSP/FAPESP, 1996.

MALINOWSKI, Bronislaw. Les Argonautes du Pacifique occidental (1922). Paris: Éditions Gallimard, 1963.

MARCONDES CESAR. In: SANT ANNA, Catarina (Org.). Para ler Gaston Bachelard. Prefácio Wunenburger. Salvador: Edufba, 2010.

OLIVEN, Ruben. A Antropologia de grupos urbanos. Petrópolis: Vozes, 1985.

OLIVEN, Ruben. Urbanização e mudança social no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1980.

PARK, Erza. “A cidade: sugestões para a investigação do comportamento humano no meio urbano.” In: O fenômeno urbano. VELHO, O. (org.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1976.

PEIRANO, Mariza. Etnografia não é método. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre: ano 20, n. 42, jul./dez. 2014. p. 377-391.

PERRUSI, Artur. A técnica na humanização do Homo sapiens sapiens.Política & Trabalho. Revista de Ciências Sociais, v. 61, out. João Pessoa: UFPB, 2004. p. 61-77.

PÉTONNET, Colette. A observação flutuante: exemplo de um cemitério parisiense. Traduzido por Soraya Silveira Simões. Antropolítica. n. 25, Niterói: UFF, 2008. p. 99-111.

RICOEUR, Paul. O outro como si mesmo. São Paulo, Papirus, 1999.

RECHENBERG, Fernanda. Vamo falá do nosso Lami: estudo antropológico sobre memória coletiva, cotidiano e meio ambiente no bairro Lami, Porto Alegre. Orientação: Cornelia Eckert. Dissertação (Mestrado). Porto Alegre: UFRGS, 2007.

RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa. São Paulo, Papirus, 1998.

RIESMAN, David. A multidão solitária. São Paulo: Perspectiva, 1961.

RIGON, Nicole Kunze. Eventos em zona crítica: etnografia de rua em um viaduto em Porto Alegre - RS. Orientadora: Cornelia Eckert. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2018.

ROCHA, Ana Luiza e ECKERT, Cornelia. A cidade e o tempo. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005. ROCHA, Ana Luiza; ECKERT, Cornelia.

A preeminência da imagem e do imaginário nos jogos da memória coletiva em coleções etnográficas. Brasília: ABA, 2016.

SALEM, Tania. A despossessão subjetiva: dos paradoxos do individualismo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, ano 7, n. 18, São Paulo: ANPOCS, fev. 1992. p. 62-77.

SANSOT, Pierre. Du bom usage de la lenteur. Paris: Editions Payot& Rivages, 1998.

SANSOT, Pierre. Les Formes sensibles de la vie sociale. Paris: Presses Universitaires de France, 1986.

SANSOT, Pierre. Poétique de la ville. Paris: Réédition Petite Bibliothèque Payot, 2004.

SANSOT, Pierre. Variations paysagères. Paris: Réédition Petite Bibliothèque Payot, 2009.

SANTOS, Ananda Andrade do Nascimento. Intervenções e trajetórias urbanas: Um estudo sobre trajetória e projeto na Arte de Rua em Porto Alegre. Orientadora: Cornelia Eckert. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2016.

SILVA, Hélio R. S. “A situação etnográfica: andar e ver: In: Horizontes Antropológicos. Etnografias. N. 32. Ano 15, Julho/Dezembro 2009. Porto Alegre: Ed. UFRGS, p. 171 a 188.

SILVA, Hélio R. S. Travesti, a Invenção do Feminino. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, ISER, 1993.

SIMMEL, Georg. Philosophie des Geldes, Leipzig: Duncker & Humblot, 1900, 2. ed. 1907 [A Filosofia do Dinheiro].

SIMMEL, Georg. O Estrangeiro. In: MORAES Fº, Evaristo (org.). Sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

SIMMEL, Georg. Les grandes villes et la vie de l’esprit. Suivi de Sociologie des sens. Paris: Payot, 2013.

SOARES, Pedro Paulo de Miranda Araújo. Etnografando as barbearias da cidade: um estudo antropológico sobre trabalho e memória no mundo urbano de Porto Alegre (RS). Orientadora: Cornelia Eckert. Dissertação

(Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012.

VEDANA, Viviane. No mercado tem tudo que a boca come. Estudo Antropológico da duração das práticas cotidianas de mercado de rua no mundo urbano contemporâneo. Orientadora: Cornelia Eckert. 2008. Tese

(Doutorado em Antropologia Social). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2008.

VELHO, Gilberto (Coord.). O desafio da cidade: novas perspectivas da Antropologia Brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

VELHO, Gilberto. Observando o familiar. In: NUNES, E. de O. (org.). A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978. p. 36-47.

VELHO, Gilberto. A utopia urbana: um estudo de Antropologia Social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1989.

VELHO, Gilberto. Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

VELHO, Gilberto. Nobres e anjos: um estudo de tóxicos e hierarquia. Tese (Doutorado), São Paulo: FELCH, USP, 1975.

VELHO, Gilberto. Projeto e metamorfose: Antropologia das sociedades complexas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

VELHO, Gilberto. Subjetividade e sociedade: uma experiência de geração. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1986.

VELHO, Otávio Guilherme (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

WAGNER, Helmuth R. Sobre fenomenologia e relações sociais: Alfred Schutz. Petrópolis: Vozes, 2008.

WAIZBORT, Leopoldo. As aventuras de Georg Simmel. São Paulo: Editora 34, 2000.

WARBURG, Aby. Atlas Mnemosyne. Madrid: Akal, 2010.

WHYTE, William Foote. Sociedade de esquina. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

Publicado
15-06-2020
Como Citar
ECKERT, C.; ROCHA, A. L. C. DA. A arte de narrar as (nas) cidades: : etnografia de (na) rua, alteridades em deslocamento. Hawò, v. 1, p. 1-52, 15 jun. 2020.
Seção
Artigos de pesquisa