Plexo braquial do Leopardus geoffroyi

  • Paulo Souza Junior Universidade Federal do Pampa, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil, paulosouza@unipampa.edu.br http://orcid.org/0000-0002-6488-6491
  • Julia Gabriela Wronski Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, juliawronski@gmail.com
  • Natan Cruz Carvalho Universidade da Região da Campanha, Alegrete, Rio Grande do Sul, Brasil, ntn.carvalho@hotmail.com
  • Marcelo Abidu Figueiredo Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, Rio de Janeiro, Brasil, marceloabidu@gmail.com http://orcid.org/0000-0003-2251-171X

Resumo

Seis membros torácicos de quatro espécimes de Leopardus geoffroyi foram dissecados para descrever a origem e a distribuição dos nervos formadores do plexo braquial. O plexo braquial resultou das conexões entre os ramos ventrais dos últimos quatro ramos ventrais cervicais (C5, C6, C7 e C8) e do primeiro torácico (T1). Estes ramos formaram os nervos supra-escapular, subescapular, axilar, musculocutâneo, radial, mediano e ulnar para os músculos intrínsecos e originaram os nervos braquiocefálico, toracodorsal, torácico lateral, torácico longo, peitoral cranial e peitoral caudal para os músculos extrínsecos. O ramo ventral de C7 foi o que mais contribuiu para a formação dos nervos do plexo (70,5%), seguido por C8 (47,4%), C6 (29,5%), T1 (19,2%) e C5 (7,7%). Entre os 78 nervos dissecados, 65,4% resultaram da combinação de dois ou mais ramos, enquanto apenas 34,6% se originaram de um único ramo. Em comparação com outras espécies da ordem Carnivora, a origem e área de inervação do plexo braquial do gato-do-mato-grande se assemelhou mais com a do gato doméstico, especialmente no tocante aos nervos destinados à musculatura intrínseca. Os resultados do presente estudo sugerem que técnicas de bloqueio nervoso atualmente empregadas em cães e gatos podem ser também eficientes no gato-do-mato-grande.
Palavras-chave: Anatomia animal, Carnívoros silvestres, Felinos silvestres, Bioma Pampa

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Souza Junior, Universidade Federal do Pampa, Uruguaiana, Rio Grande do Sul, Brasil, paulosouza@unipampa.edu.br
Julia Gabriela Wronski, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, juliawronski@gmail.com
Natan Cruz Carvalho, Universidade da Região da Campanha, Alegrete, Rio Grande do Sul, Brasil, ntn.carvalho@hotmail.com
Marcelo Abidu Figueiredo, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, Rio de Janeiro, Brasil, marceloabidu@gmail.com
Publicado
02-08-2018
Como Citar
Souza Junior, P., Gabriela Wronski, J., Cruz Carvalho, N., & Abidu Figueiredo, M. (2018). Plexo braquial do Leopardus geoffroyi. Ciência Animal Brasileira, 19, 1-14. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/e-51240
Seção
MEDICINA VETERINÁRIA