Dimetilacetamida associada ou não ao glicerol para criopreservação de sêmen ovino

  • Gabriel Felipe Oliveira Menezes Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, gmenezes.vet@gmail.com
  • Rodrigo Freitas Bittencourt Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, rfb@ufba.br
  • Antônio de Lisboa Ribeiro Filho Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, alisboafilho@ufba.br
  • Fernando de Lima Cardoso Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, nando_lcardoso@hotmail.com
  • Mariana Alves Andrade Silva Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, marianadeandradesilva@gmail.com
  • Elisiane Sateles Santos Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, elisianevet@gmail.com

Resumo

O objetivo do presente estudo foi testar a dimetilacetamida (DMA) em diferentes concentrações, associada ou não ao glicerol (GL), sobre a viabilidade espermática do sêmen ovino congelado. Foram utilizados 10 ejaculados de dois carneiros adultos da raça Santa Inês. Os ejaculados foram divididos em sete grupos experimentais, respeitando o limite máximo de 5% de DMA, sendo eles: GL6%, DMA3%, GL5%+DMA1%, GL4%+DMA2%, GL3%+DMA3%, GL2%+DMA4%, GL1%+DMA5%. Os espermatozoides criopreservados nos diferentes tratamentos foram analisados quanto à cinética subjetiva, integridade estrutural da membrana plasmática (EOS), integridade funcional da membrana plasmática (CO) e morfologia espermática, observando defeitos totais (DT) e defeitos maiores (DM). A motilidade total (MT) e a progressiva (MP) pós-descongelação nos grupos GL5%+DMA1%; GL4%+DMA2% e GL3%+DMA3%, foram semelhantes (P>0,05) ao tratamento controle (GL6%). Destes, o diluidor GL4%+DMA2% foi o único que promoveu a manutenção da MT e MP pós-descongelação, quando comparado com o sêmen in natura (P>0,05). Não foram observadas diferenças significativas (P>0,05) para os parâmetros de EOS, CO, DT e DM nos diferentes grupos avaliados. A dimetilacetamida associada ao glicerol mostrou-se eficaz na manutenção da viabilidade espermática em ovinos, avaliada pós-descongelação. Entretanto, foi observado efeito deletério da DMA nas concentrações mais elevadas ou quando não esteve associada ao glicerol.
Palavras-chave: Criopreservação; Dimetilacetamida; Ovino; Sêmen

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Felipe Oliveira Menezes, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, gmenezes.vet@gmail.com
Rodrigo Freitas Bittencourt, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, rfb@ufba.br
Antônio de Lisboa Ribeiro Filho, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, alisboafilho@ufba.br
Fernando de Lima Cardoso, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, nando_lcardoso@hotmail.com
Mariana Alves Andrade Silva, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, marianadeandradesilva@gmail.com
Elisiane Sateles Santos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, elisianevet@gmail.com
Publicado
02-10-2018
Como Citar
Felipe Oliveira Menezes, G., Freitas Bittencourt, R., de Lisboa Ribeiro Filho, A., de Lima Cardoso, F., Alves Andrade Silva, M., & Sateles Santos, E. (2018). Dimetilacetamida associada ou não ao glicerol para criopreservação de sêmen ovino. Ciência Animal Brasileira, 19, 1-10. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/e-48026
Seção
MEDICINA VETERINÁRIA