Adição de óleo de copaíba (Copaifera langsdorffii) e sucupira (Pterodon emarginatus) na alimentação de poedeiras: qualidade física de ovos armazenados em diferentes temperaturas

  • Geovana Rocha de Oliveira Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil, geovanarocharural@yahoo.com.br
  • Cristiane Bovi de Lima Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil, crikabovi@gmail.com
  • Luiza Maria Carvalho Soares Ribeiro Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil, luizamaria.vet@gmail.com
  • Marcos Barcellos Café Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, mcafe@ufg.br
  • Janaina da Silva Moreira Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, janainasm17@gmail.com
  • Eduardo Miranda de Oliveira Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, eduardozootec@gmail.com
  • Aline Mondini Calil Racanicci Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil, alinemcr@unb.br
Palavras-chave: Antioxidantes naturais, Ovos armazenados, Poedeiras semipesadas, Qualidade física

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da adição de óleos vegetais à alimentação de poedeiras semipesadas na qualidade física de ovos armazenados sob refrigeração (R) e em temperatura ambiente (TA). As aves receberam ração formulada à base de milho e farelo de soja com a suplementação de níveis crescentes de óleo de Copaifera langsdorffii (CP-0,03; 0,06 e 0,09%) ou Pterodon emarginatus (SC-0,03 e 0,06%) mais um controle negativo (CN). Periodicamente, foram analisados três ovos por tratamento para Unidade Haugh (UH), índice de gema (IG), cor, pH (gema e albúmen) e porcentagens de casca (PC), gema (PG) e albúmen (PA). Para análise estatística dos resultados, foi adotado um modelo misto (SAS 9.3) e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey. A inclusão de até CP0,06% CP ou SC0,03% preservou (P<0,05) os valores de UH nos ovos em TA, equivalente aos tratamentos sob R até 14 dias; além disso, a adição dos óleos controlou a elevação do pH das gemas. Concluiu-se que os óleos vegetais suplementados nas dietas de poedeiras influenciaram positivamente na manutenção da qualidade do albúmen e do pH das gemas dos ovos em temperatura ambiente, contudo nenhum efeito adicional foi verificado para os ovos mantidos sob refrigeração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geovana Rocha de Oliveira, Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil, geovanarocharural@yahoo.com.br
Cristiane Bovi de Lima, Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil, crikabovi@gmail.com
Luiza Maria Carvalho Soares Ribeiro, Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil, luizamaria.vet@gmail.com
Marcos Barcellos Café, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, mcafe@ufg.br
Janaina da Silva Moreira, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, janainasm17@gmail.com
Eduardo Miranda de Oliveira, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, eduardozootec@gmail.com
Aline Mondini Calil Racanicci, Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil, alinemcr@unb.br
Publicado
04-07-2018
Como Citar
Rocha de Oliveira, G., Bovi de Lima, C., Carvalho Soares Ribeiro, L. M., Barcellos Café, M., da Silva Moreira, J., Miranda de Oliveira, E., & Mondini Calil Racanicci, A. (2018). Adição de óleo de copaíba (Copaifera langsdorffii) e sucupira (Pterodon emarginatus) na alimentação de poedeiras: qualidade física de ovos armazenados em diferentes temperaturas. Ciência Animal Brasileira, 19, 1-12. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/e-41508
Seção
ZOOTECNIA