PRODUTIVIDADE DO MILHETO EM TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA E DUAS ALTURAS DE CORTE

Autores

  • Josilene da Silva Trindade Faculdades Unidas do Vale do Araguaia –Univar
  • Edgar Alain Collao Saenz UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
  • Márcia Dias UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
  • Vera Lúcia Banys UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
  • Fernando José dos Santos Dias UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
  • Alyson Andrade Pinheiro UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

Palavras-chave:

estresse hídrico, manejo, safrinha

Resumo

Com o objetivo de avaliar a produção do milheto (Pennisetum glaucum (L.)) em diferentes densidades de semeadura e manejado em duas alturas de corte, foi realizado um experimento na Fazenda Experimental da Universidade Federal de Goiás, no período de março a julho (safrinha) após a colheita da soja. O delineamento experimental utilizado foi blocos ao acaso em arranjo fatorial (3x2) com três densidades de semeadura (10, 15 e 20 kg.ha-¹) e duas alturas de corte (50 e 70 cm). Os dados foram analisados no programa SAS versão 9.2, considerando-se o efeito de densidade na parcela e altura na subparcela. As médias foram comparadas pelo teste Tukey a 5% de probabilidade. A densidade de semeadura não influenciou (P<0,05) nas produções de massa verde e matéria seca (MS). O corte a 70 cm teve maior produção de MS por corte. Quando avaliada a produção total do período, não houve (P>0,05) influência da densidade de semeadura ou da altura de corte. Por não ter afetado a produção de MS e por permitir maior período de utilização da pastagem com menor gasto com sementes no plantio, recomenda-se a densidade de semeadura de 10 kg.ha-¹ com corte do milheto aos 50 cm de altura.
Palavras-chave: estresse hídrico; manejo; safrinha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josilene da Silva Trindade, Faculdades Unidas do Vale do Araguaia –Univar

Professora das Faculdades Unidas do Vale do Araguaia –Univar, Barra do Garças, MT

Edgar Alain Collao Saenz, UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS - REGIONAL JATAÍ

Márcia Dias, UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS - REGIONAL JATAÍ

Vera Lúcia Banys, UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS - REGIONAL JATAÍ

Fernando José dos Santos Dias, UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS - REGIONAL JATAÍ

Alyson Andrade Pinheiro, UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS - REGIONAL JATAÍ

Downloads

Publicado

31-07-2017

Como Citar

Trindade, J. da S., Saenz, E. A. C., Dias, M., Banys, V. L., Dias, F. J. dos S., & Pinheiro, A. A. (2017). PRODUTIVIDADE DO MILHETO EM TRÊS DENSIDADES DE SEMEADURA E DUAS ALTURAS DE CORTE. Ciência Animal Brasileira, 18. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/e-41239

Edição

Seção

ZOOTECNIA