Artemia sp. NA ALIMENTAÇÃO DE LARVAS DE JUNDIÁ (Rhamdia quelen)

  • Odair Diemer
  • Dacley Hertes Neu
  • Cesar Sary
  • Joana Karin Finkler
  • Wilson Rogério Boscolo
  • Aldi Feiden
Palavras-chave: Aquicultura, Nutrição, Peixe nativo, Rio Iguaçu.

Resumo

Uma das dificuldades na larvicultura do jundiá está relacionada à primeira alimentação. Este experimento teve como objetivo determinar o crescimento e a sobrevivência de larvas de jundiá submetidas à alimentação com Artemia sp. em diferentes períodos de tempo. O estudo foi realizado no Laboratório de Aquicultura da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, com quatro tratamentos e cinco repetições, constituídos pela alimentação com Artemia sp em 5, 10, 15 e 20 dias, e após cada período, por sua substituição pela ração. Foram utilizadas 200 larvas distribuídas em 20 aquários, logo após a eclosão dos ovos. As larvas foram alimentadas 4 vezes ao dia até a saciedade aparente por um período de 30 dias. A alimentação com Artemia sp. durante 15 dias proporcionou os melhores resultados de ganho de peso, comprimento final e sobrevivência.

PALAVRAS-CHAVE: Aquicultura; nutrição; peixe nativo; rio Iguaçu.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
26-06-2012
Como Citar
Diemer, O., Neu, D. H., Sary, C., Finkler, J. K., Boscolo, W. R., & Feiden, A. (2012). Artemia sp. NA ALIMENTAÇÃO DE LARVAS DE JUNDIÁ (Rhamdia quelen). Ciência Animal Brasileira, 13(2), 175-179. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/9011
Seção
Produção Animal