CONSUMO DE ALIMENTOS E PRODUÇÃO DE LEITE DE VACAS MESTIÇAS MANTIDAS EM DIFERENTES PASTAGENS TROPICAIS

Edmundo Benedetti, Norberto Mario Rodríguez, Warley Efrem Campos, Ana Luiza Costa Cruz Borges, Eloísa Simões Saliba

Resumo


Realizou-se a avaliação do consumo de alimentos e da produção de leite de vacas mestiças pastejando piquetes de capim Napier (Pennisetum purpureum) (NAP), Brachiaria decumbens (BRA) e Colonião (Pannicum maximum) (COL) e suplementadas com quatro kg de concentrado em um esquema de quadrado latino (3x3) duplo. Calcularam-se a produção fecal e o consumo de alimentos com o auxílio do Cr2O3 e da digestibilidade in vitro. O consumo diário de MS foi semelhante entre as forragens (18kg/vaca), as quais representaram 2,72%; 2,84% e 2,96% do p.v. para o NAP, BRACH e COL, respectivamente. O consumo por unidade de tamanho metabólico (g MS/kg0,75) foi de 130 para o NAP, 135para a BRACH e 145 para o COL. A ingestão de BRACH resultou em menor produção de leite (14,4Kg) em comparação ao NAP (15,5kg) e COL (16,1kg). Verificou-se que as espécies forrageiras não influíram na composição do leite das vacas, o qual apresentou 4,03% de gordura, 2,46% de proteína e 12,42% de extrato seco total. Concluiu-se que os capins NAP, BRACH e COL apresentam-se como boas alternativas para a produção de leite a pasto.

PALAVRAS-CHAVES: Brachiaria decumbens, colonião, Pannicum maximum, Napier, Pennisetum purpureum


Palavras-chave


Produção de bovinos

Texto completo:

PDF




Logotipo do IBICT
Visitantes: contador de visitas