Composição química, fracionamento de carboidratos e compostos nitrogenados, cinética da degradação ruminal e produção de gás in vitro de genótipos de palma forrageira

Autores

  • André Luiz Rodrigues Magalhães Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Garanhuns, Pernambuco, Brasil https://orcid.org/0000-0003-2211-6795
  • Ana Lúcia Teodoro Institutuo Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI), Corrente, Piauí, Brasil https://orcid.org/0000-0002-2752-6737
  • Leandro Pereira de Oliveira Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Areia, Paraíba, Brasil https://orcid.org/0000-0002-3014-0915
  • Glayciane Costa Gois Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), Petrolina, Pernambuco, Brasil https://orcid.org/0000-0002-4624-1825
  • Fleming Sena Campos 1Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Garanhuns, Pernambuco, Brasil https://orcid.org/0000-0001-9027-3210
  • Albericio Pereira de Andrade 1Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Garanhuns, Pernambuco, Brasil https://orcid.org/0000-0002-1223-394X
  • Airon Aparecido Silva de Melo 1Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Garanhuns, Pernambuco, Brasil
  • Daniel Bezerra do Nascimento 1Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Garanhuns, Pernambuco, Brasil https://orcid.org/0000-0001-6704-2289
  • Wanderson Alves da Silva Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Arapiraca, Alagoas, Brasil

Resumo

Objetivou-se avaliar a composição química, fracionamento de carboidratos e compostos nitrogenados, parâmetros de degradação e fermentação ruminal in vitro de genótipos de palma forrageira. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, com 4 genótipos de palma forrageira e 4 repetições. Os genótipos de palma forrageira avaliadas foram: Miúda (Nopalea cochenillifera Salm Dyck), IPA Sertânia (Nopalea cochenillifera), Gigante (Opuntia ficus indica Mill), e Orelha de Elefante Mexicana (Opuntia stricta Haw), todas in natura. As amostras foram coletadas aleatoriamente em pontos distintos na área experimental. Plantas inteiras foram coletadas 24 meses após o estabelecimento da cultura de campo. N. cochenillifera Salm Dyck apresentou os maiores teores de matéria seca, proteína insolúvel em detergente ácido, carboidratos não fibrosos, nutrientes digestíveis totais, energia digestível, carboidratos totais e fração A + B1 e menores teores de fibra em detergente neutro corrigida para cinza e proteína, fibra em detergente ácido e celulose (P<0,05). A digestibilidade da fibra em detergente neutro verdadeira in vitro foi elevada para os genótipos N. cochenillifera Salm Dyck e N. cochenillifera Dyck, que também apresentaram altos valores de produção de gás in vitro (P<0,05). Os genótipos de palma forrageira apresentam características químicas adequadas para compor dietas oferecidas aos ruminantes, no entanto, é necessário uma suplementação para aumentar os teores de matéria seca e fibra. Nopalea cochenillifera Salm Dyck apresenta as maiores proporções de nutrientes digestíveis totais, carboidratos não fibrosos, nitrogênio não protéico e alta produção de gases em relação aos demais genótipos analisados aos 24 meses após o estabelecimento do palmal.
Palavras-chave: Degradabilidade; Digestibilidade; Fermentação in vitro; Nopalea; Opuntia

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

20-09-2021

Como Citar

Rodrigues Magalhães, A. L., Teodoro, A. L., Pereira de Oliveira, L., Costa Gois, G. ., Sena Campos, F., Pereira de Andrade, A., Silva de Melo, A. A., Bezerra do Nascimento, D., & Alves da Silva, W. (2021). Composição química, fracionamento de carboidratos e compostos nitrogenados, cinética da degradação ruminal e produção de gás in vitro de genótipos de palma forrageira. Ciência Animal Brasileira, 22(1). Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/69338

Edição

Seção

ZOOTECNIA