Mamíferos em remanescentes florestais de mata atlântica, Barbacena, Minas Gerais

Autores

  • Thayná Silva Batista Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, Barbacena, MG, Brasil https://orcid.org/0000-0002-5933-7471
  • Camila Dornellas Estevão Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, Barbacena, MG, Brasil https://orcid.org/0000-0003-2163-7599
  • Débora Caliari de Lima Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, Barbacena, MG, Brasil https://orcid.org/0000-0002-5535-5613
  • Geraldo Majela Moraes Salvio Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, Barbacena, MG, Brasil https://orcid.org/0000-0002-3953-1349

Resumo

A perda e fragmentação de habitats são as principais causas
do declínio da biodiversidade, uma vez que as alterações
das condições ambientais e ecológicas afetam diretamente
a riqueza, a abundância e a distribuição das espécies. O
presente trabalho teve como objetivo identificar mamíferos
de médio e grande porte em três fragmentos remanescentes
de Mata Atlântica, situados no Campus Barbacena do
Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IFSudesteMG).
As espécies foram registradas por meio de parcelas de
areia e busca ativa de vestígios diretos e indiretos. Foram
identificadas 16 espécies distribuídas em seis ordens e 14
famílias, dentre elas, algumas vulneráveis e ameaçadas como
Lycalopex vetulus (raposa do campo), Lontra longicaudis (lontra)
e Callicebus nigrifrons (sauá). Canis familiaris (cão doméstico) e
Didelphis sp. (gambá) foram mais frequentes nas parcelas de
areia. O maior fragmento apresentou maior riqueza, com 15
espécies, 93,75% do total registrado no Campus. O número de
espécies compartilhadas nas três áreas amostradas foi 31,2%.
Os índices de similaridade registrados entre os fragmentos
indicam que há necessidade de maior conectividade entre as
áreas através da criação de corredores ecológicos, permitindo
assim o deslocamento das espécies e, consequentemente,
o maior fluxo gênico, favorecendo a manutenção de
importantes serviços ecossistêmicos para a região. Apesar de
pequena, a área de estudo desempenha importante papel na
conservação dos mamíferos da região, preservando espécies
de Cerrado e Mata Atlântica. Com o intuito de reduzir os
impactos na fauna local, torna-se necessário a implantação
de ações de manejo e conservação.
Palavras-chave: Fragmentação; biodiversidade; mastofauna

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

02-07-2021

Como Citar

Silva Batista, T., Dornellas Estevão, C., Caliari de Lima, D., & Majela Moraes Salvio, G. (2021). Mamíferos em remanescentes florestais de mata atlântica, Barbacena, Minas Gerais. Ciência Animal Brasileira, 22(1). Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/67449

Edição

Seção

MEDICINA VETERINÁRIA