SOROPREVALÊNCIA E VARIÁVEIS EPIDEMIOLÓGICAS ASSOCIADAS À LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA EM ÁREA ENDÊMICA NO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS, MARANHÃO, BRASIL

Autores

  • David Soeiro Barbosa UEMA
  • Alessandra Lima Rocha UEMA
  • Andressa Almeida Santana UEMA
  • Celeste da Silva Freitas de Souza IOC/FIOCRUZ/RJ
  • Ricardo Augusto Dias FMVZ/USP
  • Lívio Martins Costa-Júnior UFMA
  • Ana Lúcia Abreu-Silva UEMA

Palavras-chave:

Fatores associados Soroprevalência Leishmaniose Visceral Canina Epidemiologia

Resumo

Este trabalho teve como objetivos determinar a soroprevalência e as variáveis epidemiológicas associadas com a infecção de Leishmania spp. em cães de cinco localidades no Distrito do Tirirical no município de São Luís, Maranhão. Foram visitadas 72 moradias, perfazendo uma amostra de cem cães domiciliados, e aplicados questionários com o objetivo de determinar os fatores que poderiam estar relacionados com a ocorrência da infecção. Utilizaram-se como variáveis: proximidade da moradia com a mata, existência de criação/abrigo de animais de produção e de animais silvestres, sexo, idade, raça, além de exame clínico do animal, com observação da presença de sinais clínicos compatíveis com a doença. A análise sorológica demonstrou que 67 amostras apresentaram-se positivas para Leishmania spp. Os sinais clínicos observados foram linfadenopatia localizada, alopecia, pelo opaco, emagrecimento, úlceras cutâneas, descamação furfurácea, ceratoconjuntivite, e onicogrifose. Animais das localidades Cruzeiro de Santa Bárbara e Cajupari, ambas localizadas próximas de matas, têm 3,4 e 12,0 vezes mais chances de serem soropositivos para Leishmania spp. do que aqueles das outras localidades estudadas. Não se verificou correlação entre as outras variáveis estudadas e soropositividade para Leishmania spp.

PALAVRAS-CHAVES: Epidemiologia, fatores associados, leishmaniose visceral canina, soroprevalência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

David Soeiro Barbosa, UEMA

Laboratório de Anatomopatologia, Curso de Medicina Veterinária, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), São Luís, Maranhão, Brasil.

Alessandra Lima Rocha, UEMA

Laboratório de Anatomopatologia, Curso de Medicina Veterinária, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), São Luís, Maranhão, Brasil.

Andressa Almeida Santana, UEMA

Laboratório de Anatomopatologia, Curso de Medicina Veterinária, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), São Luís, Maranhão, Brasil.

Celeste da Silva Freitas de Souza, IOC/FIOCRUZ/RJ

Laboratório de Imunomodulação, Departamento de Protozoologia, Instituto Oswaldo Cruz, Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Rio de Janeiro, Brasil

Ricardo Augusto Dias, FMVZ/USP

Laboratório de Epidemiologia e Bioestatística, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, Brasil.

Lívio Martins Costa-Júnior, UFMA

Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Campus Chapadinha, Maranhão, Brasil.

Ana Lúcia Abreu-Silva, UEMA

Laboratório de Anatomopatologia, Curso de Medicina Veterinária, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), São Luís, Maranhão, Brasil.

Downloads

Publicado

2010-10-02

Como Citar

BARBOSA, D. S.; ROCHA, A. L.; SANTANA, A. A.; SOUZA, C. da S. F. de; DIAS, R. A.; COSTA-JÚNIOR, L. M.; ABREU-SILVA, A. L. SOROPREVALÊNCIA E VARIÁVEIS EPIDEMIOLÓGICAS ASSOCIADAS À LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA EM ÁREA ENDÊMICA NO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS, MARANHÃO, BRASIL. Ciência Animal Brasileira / Brazilian Animal Science, Goiânia, v. 11, n. 3, p. 653–659, 2010. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/5933. Acesso em: 18 maio. 2022.

Edição

Seção

Medicina Veterinária