NÍVEIS DE IMUNOGLOBULINAS EM RATOS INFECTADOS POR Trypanosoma evansi

Autores

  • Lucas Trevisan Gressler UFSM
  • Aleksandro Schafer Da Silva UFSM
  • Mateus Anderson Otto
  • Maria Isabel Azevedo
  • Régis Adriel Zanette UFRGS
  • Silvia Gonzalez Monteiro UFSM
  • Janio Morais Santurio UFSM

Palavras-chave:

Trypanosoma evansi. IgG. IgM. Ratus norvergicus

Resumo

Objetivou-se avaliar os níveis de imunoglobulinas presentes em ratos infectados experimentalmente por Trypanosoma evansi. Para isso, inocularam-se vinte animais com 106 tripomastigotas de T. evansi e dez ratos usados como controle. Controlou-se a parasitemia através de esfregaço sanguíneo diário, sendo que no quinto dia após a inoculação os animais foram divididos em três grupos homogêneos. Formaram-se os grupos A e B por ratos que apresentaram elevada e baixa parasitemia, respectivamente, e o grupo C por ratos sadios. Submeteram-se as amostras de soro ao teste de ELISA para quantificação de imunoglobulinas. A IgG e IgM de ratos dos grupos A e B foram superiores aos do grupo C. Já a IgM de ambos os grupos infectados não diferiu, apesar do grau de parasitemia. Portanto, os ratos infectados por T. evansi apresentaram resposta imunológica frente à infecção pelo flagelado, embora esta não seja suficiente para eliminar o protozoário na infecção aguda.

PALAVRAS-CHAVES: IgG, IgM, Ratus norvergicus, Trypanosoma evansi.
Objetivou-se avaliar os níveis de imunoglobulinas presentes em ratos infectados experimentalmente por Trypanosoma evansi. Para isso, inocularam-se vinte animais com 106 tripomastigotas de T. evansi e dez ratos usados como controle. Controlou-se a parasitemia através de esfregaço sanguíneo diário, sendo que no quinto dia após a inoculação os animais foram divididos em três grupos homogêneos. Formaram-se os grupos A e B por ratos que apresentaram elevada e baixa parasitemia, respectivamente, e o grupo C por ratos sadios. Submeteram-se as amostras de soro ao teste de ELISA para quantificação de imunoglobulinas. A IgG e IgM de ratos dos grupos A e B foram superiores aos do grupo C. Já a IgM de ambos os grupos infectados não diferiu, apesar do grau de parasitemia. Portanto, os ratos infectados por T. evansi apresentaram resposta imunológica frente à infecção pelo flagelado, embora esta não seja suficiente para eliminar o protozoário na infecção aguda.

PALAVRAS-CHAVES: IgG, IgM, Ratus norvergicus, Trypanosoma evansi.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01-04-2010

Como Citar

Gressler, L. T., Da Silva, A. S., Otto, M. A., Azevedo, M. I., Zanette, R. A., Monteiro, S. G., & Santurio, J. M. (2010). NÍVEIS DE IMUNOGLOBULINAS EM RATOS INFECTADOS POR Trypanosoma evansi. Ciência Animal Brasileira, 11(1), 201–204. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/5461

Edição

Seção

Medicina Veterinária