LEUCOGRAMA DA TILÁPIA-DO-NILO ARRAÇOADA COM DIETAS SUPLEMENTADAS COM NÍVEIS DE VITAMINA C E LIPÍDEO SUBMETIDAS A ESTRESSE POR BAIXA TEMPERATURA

  • Dario Rocha Falcon CAUNESP
  • Margarida Maria Barros FMVZ/UNESP
  • Luiz Edvaldo Pezzato FMVZ/UNESP
  • William Vicente Narvaez Solarte Universidade de Caldas - Colômbia
  • Igo Gomes Guimarães FMVZ/UNESP
Palavras-chave: Piscicultura

Resumo

Realizou-se esta pesquisa com período pré-experimental de 112 dias e experimental de 43 dias, objetivando avaliar os efeitos dos níveis de vitamina C e lipídeos na contagem diferencial de leucócitos, antes e após o estresse por baixa temperatura. Distribuíram-se os tratamentos num DIC em esquema fatorial 2 x 3, com níveis de lipídeo (8,0 e 12,0%) e níveis de vitamina C (300; 600 e 1.200 mg de vitamina C/kg dieta), com três repetições cada, além de outros dois tratamentos, ausente de suplementação dos nutrientes testes e acrescido de 6,0% de lipídeo e 125 mg de vitamina C/kg, constituindo oito dietas isoprotéicas (32,0% PD). Os peixes foram distribuídos em 24 aquários, dois peixes/aquário, com peso médio de 105,13 ± 19,71 g. A água dos aquários permaneceu a 18,0°C durante 25 dias e por 11 dias a 15,0°C. O estímulo pelo frio determinou leucopenia, linfopenia, neutrofilia e monocitose. Houve interação significativa para fase versus vitamina C e fase versus lipídeo. Conclui-se que a suplementação de vitamina C e lipídeo melhora o sistema imunológico; o estresse pelo frio diminui a resistência dos peixes; os níveis de suplementação de vitamina C na ração acima da exigência nutricional e níveis de 8,0% e 12,0% de lipídeo determinam melhor resistência.

PALAVRAS-CHAVES: Ácido ascórbico, baixa temperatura, células brancas, Oreochromis niloticus, resistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
14-10-2008
Como Citar
Falcon, D. R., Barros, M. M., Pezzato, L. E., Solarte, W. V. N., & Guimarães, I. G. (2008). LEUCOGRAMA DA TILÁPIA-DO-NILO ARRAÇOADA COM DIETAS SUPLEMENTADAS COM NÍVEIS DE VITAMINA C E LIPÍDEO SUBMETIDAS A ESTRESSE POR BAIXA TEMPERATURA. Ciência Animal Brasileira, 9(3), 543-551. https://doi.org/10.5216/cab.v9i3.519
Seção
Produção Animal