PEROXIDAÇÃO LIPÍDICA E ATIVIDADE DA SUPEROXIDO DISMUTASE EM JUVENIS DE JUNDIÁ (Rhamdia quelen) EXPOSTOS A DIFERENTES NÍVEIS DE OXIGÊNIO DISSOLVIDO

  • Neiva Braun UFSC
  • Ronaldo Lima de Lima UFSC
  • Franchesco Dalla Flora UFSC
  • Maicon Éder Lang UFSC
  • Liliane de Freitas Bauermann UFSC
  • Vania Lucia Loro UFSC
  • Bernardo Baldisserotto UFSC

Resumo

Peixes são freqüentemente expostos a episódios de hipóxia ambiental e fisiológica, e usualmente produzem níveis elevados de espécies reativas de oxigênio. Juvenis de jundiá (Rhamdia quelen) foram expostos a diferentes níveis de oxigênio dissolvido (hipóxia severa: 1,96 ± 0,08, hipóxia moderada: 3,10 ± 0,10 e normóxia: 6,15 ± 0,03 mg.L) por trinta dias, para verificar se tais condições poderiam induzir algum estresse oxidativo no fígado e músculo dessa espécie. Os níveis de peroxidação lipídica e a atividade da superóxido dismutase no fígado e músculo foram mais altos em peixes expostos à hipóxia severa e moderada que nos expostos à normóxia. Trata-se de resultados que sugerem que baixos níveis de oxigênio dissolvido na água levam à peroxidação lipídica, mas ao mesmo tempo há um aumento da atividade da superóxido dismutase, mantendo o equilíbrio oxidativo.

 

PALAVRAS-CHAVES: Enzimas anti-oxidantes, hypoxia, normóxia, radicais livres.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
15-10-2008
Como Citar
Braun, N., Lima, R. L. de, Dalla Flora, F., Lang, M. Éder, Bauermann, L. de F., Loro, V. L., & Baldisserotto, B. (2008). PEROXIDAÇÃO LIPÍDICA E ATIVIDADE DA SUPEROXIDO DISMUTASE EM JUVENIS DE JUNDIÁ (Rhamdia quelen) EXPOSTOS A DIFERENTES NÍVEIS DE OXIGÊNIO DISSOLVIDO. Ciência Animal Brasileira, 9(3), 811-814. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/4944
Seção
Nota Científica