Não constituintes da carcaça de cordeiros em distintas condições sexuais

Resumo

O estudo foi realizado com objetivo de avaliar os efeitos da condição sexual nos pesos e rendimentos dos não constituintes da carcaça de cordeiros cruza Texel x Corriedale. Foram utilizados 46 machos divididos em três grupos: não castrados (n=15), castrados (n=17) e induzidos ao criptorquidismo (n=14). Foi adotado o delineamento experimental inteiramente casualizado com três tratamentos e número variável de repetições. Foi realizada análise de variância para avaliar o efeito da condição sexual sobre as características estudadas. Cordeiros castrados atingiram as condições estipuladas para o abate mais precocemente. Não castrados e induzidos ao criptorquidismo apresentaram pesos superiores de cabeça (kg), pele (kg), pênis (kg) e fígado com vesícula (kg). Não castrados apresentaram valores superiores do conjunto pulmões com traqueia (kg) em relação a animais castrados. Conclui-se que cordeiros não castrados e induzidos ao criptorquidismo apresentam pesos superiores de alguns componentes corporais quando terminados em campo nativo recebendo suplementação de 1% do peso corporal. Proporcionalmente, a condição sexual não interfere nos rendimentos dos componentes corporais de cordeiros Texel x Corriedale.
Palavras-chave: Castração; componentes corporais; indução ao criptorquidismo; Ovis aries.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pablo Tavares Costa, UFPel

Departamento de Zootecnia

Gilson de Mendonça, UFPel

Departamento de Fisiologia

Rômulo Tavares Costa, UFPel

Departamento de Zootecnia

Luiza Padilha Nunes, UFPel

Graduanda em Zootecnia

Michelle de Almeida Ollé, UFPel

Departamento de Zootecnia

Fernanda Dornélles Feijó, UFRGS

Departamento de Zootecnia

Publicado
13-03-2020
Como Citar
Costa, P. T., Mendonça, G. de, Costa, R. T., Nunes, L. P., Ollé, M. de A., & Feijó, F. D. (2020). Não constituintes da carcaça de cordeiros em distintas condições sexuais. Ciência Animal Brasileira, 21(1). Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/48641
Seção
ZOOTECNIA