BIÓPSIA PULMONAR EM BEZERROS COM BRONCOPNEUMONIA INDUZIDA PELA Mannheimia haemolytica

  • Daniel Pessoa Gomes da Silva FMVZ-UNESP
  • José Paes Oliveira Filho FMVZ-UNESP
  • Adriana Souza Coutinho Universidade Federal de Lavas
  • Andreza Pimenta de Oliveira Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu - Unesp
  • Noeme Sousa Rocha FMVZ-UNESP
  • Roberto Calderon Gonçalves FMVZ-UNESP
Palavras-chave: bezerros, biópsia pulmonar, broncopneumonia, Mannheimia haemolytica.

Resumo

Com o propósito de avaliar a segurança, a eficácia diagnóstica da biópsia pulmonar e comparar a possível ocorrência de complicações decorrentes da técnica, entre bezerros sadios e com broncopneumonia induzida, utilizaram-se dez bezerros (G1) sadios e vinte bezerros portadores de broncopneumonia, divididos em quatro grupos de cinco bezerros (G2 a G5), os quais foram biopsiados 12, 24, 48 e 72 horas após a inoculação com Mannheimia haemolytica, respectivamente. A presença de crepitação grossa, som submaciço à percussão e as alterações radiográficas auxiliaram no diagnóstico da broncopneumonia e localizaram a área pulmonar a ser biopsiada nos grupos G2 a G5. As alterações microscópicas, visualizadas nos animais do grupo G2 a G5, foram as de broncopneumonia fibrinopurulenta. Nos bezerros do grupo G1 as alterações relacionadas à técnica foram: tosse, epistaxe, dispneia mista, taquipneia e taquicardia. Cinco (25%) bezerros com broncopneumonia desenvolveram hemotórax após a biópsia e as alterações relacionadas à técnica foram: taquipneia, taquicardia, tosse, dispneia mista, apatia, mucosas pálidas e decúbito. Conclui-se que a biópsia pulmonar permite o diagnóstico de broncopneumonia em bezerros, contudo as complicações decorrentes da técnica limitam o seu uso apenas nas situações em que os métodos convencionais não tenham possibilitado o diagnóstico.

PALAVRAS-CHAVES: Bezerros, biópsia pulmonar, broncopneumonia, Mannheimia haemolytica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Pessoa Gomes da Silva, FMVZ-UNESP

Mestre em Clínica Veterinária pelo Departamento de Clínica Veterinária da FMVZ-Unesp. Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

José Paes Oliveira Filho, FMVZ-UNESP

Pós-graduando (Doutorado) do Depto de Clínica Veterinária - FMVZ/UNESP Botucatu. Bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
(FAPESP).

Adriana Souza Coutinho, Universidade Federal de Lavas
Professor Dr. do Depto de Medicina Veterinária - UFLA.
Andreza Pimenta de Oliveira, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu - Unesp
Pós-graduando (Mestrado) do Depto de Clínica Veterinária - FMVZ/UNESP Botucatu.
Noeme Sousa Rocha, FMVZ-UNESP
Professor Adjunto do Depto de Clínica Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu - Unesp.
Roberto Calderon Gonçalves, FMVZ-UNESP
Professor Assitente Doutor do Depto de Clínica Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia de Botucatu - Unesp
Publicado
30-09-2009
Como Citar
Gomes da Silva, D., Oliveira Filho, J., Coutinho, A., Oliveira, A., Rocha, N., & Gonçalves, R. (2009). BIÓPSIA PULMONAR EM BEZERROS COM BRONCOPNEUMONIA INDUZIDA PELA Mannheimia haemolytica. Ciência Animal Brasileira, 10(3), 918-925. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/4269
Seção
Medicina Veterinária