DETERMINAÇÃO DE METAIS PESADOS EM LEITE INTEGRAL BOVINO PASTEURIZADO NO ESTADO DE GOIÁS

José Rubens Gonçalves, Albenones José de Mesquita, Renata Moreira Gonçalves

Resumo


Os teores de chumbo, cádmio, zinco, cobre e ferro em leite integral bovino pasteurizado produzidos nos meses de setembro de 2003 a dezembro de 2004, nas mesorregiões do Estado de Goiás, foram determinados utilizando espectrofotometria de absorção atômica com chama. Adotando-se o critério estabelecido no anuário estatístico do Estado de Goiás, da Secretaria do Planejamento (ANUALPEC, 2005), que dividiu o Estado de Goiás em cinco mesorregiões, foram colhidas 27 amostras de leite integral pasteurizado em cada mesorregião, com um total de 135 amostras, e 675 determinações analíticas para os cinco microelementos analisados. Seguiu-se o modelo estatístico de amostragem por conglomerados (SPIEGEL, 1978). As amostras obtidas em embalagens plásticas de polietileno pigmentado foram processadas. Após a avaliação da amostra, separaram-se aquelas que estavam de acordo com os padrões físico-químicos e procedeu-se à determinação dos metais pesados, conforme metodologia oficial (BRASIL, 1994). Quanto aos teores de cádmio e chumbo, o limite máximo de resíduos aceitos pelo MERCOSUL é 0,05 mg/L. Todavia não foram encontradas diferenças significativas a 5 % de probabilidade, entre as médias dos teores de chumbo, cádmio, zinco e cobre no leite integral entre as mesorregiões. A média geral obtida para chumbo foi de 0,238 mg/L, superior ao limite máximo de resíduos, para o cádmio foi de 0,0482 mg/L, para o zinco foi de 3,732 mg/L, para o cobre foi de 0,4869 mg/L e para o ferro foi de 0,9626 mg/L. Tendo em vista os resultados médios obtidos no presente estudo, depreende-se que o leite analisado foi considerado uma fonte pobre em zinco, cobre e ferro.

 

Palavras-Chave: Espectrofotometria de absorção atômica, Chumbo, microelementos.


Palavras-chave


Tecnologia de Alimentos

Texto completo:

PDF




Logotipo do IBICT
Visitantes: contador de visitas