EFEITOS DA INFUSÃO CONTÍNUA DE CETAMINA S(+) EM EQÜINOS ANESTESIADOS PELO HALOTANO

Autores

  • José Henrique Saraiva Borges Pós-graduando do Programa de Cirurgia Veterinária – FCAV da UNESP
  • Adriana Helena de Souza Pós-graduando do Programa de Cirurgia Veterinária – FCAV da UNESP
  • Renata Gebara Sampaio Dória Pós-graduando do Programa de Cirurgia Veterinária – FCAV da UNESP
  • Júlio Carlos Canola Professor adjunto do Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária da FCAV – UNESP
  • Paulo Sérgio Patto dos Santos Professor Doutor do Departamento de Medicina Veterinária da FOA– UNESP
  • Carlos Valadão FCAV-UNESP

Palavras-chave:

Cetamina S( ), Infusão contínua, Eqüinos, Halotano

Resumo

A manutenção da pressão arterial, no transanestésico, consiste grande desafio, principalmente quando se trata da espécie equina, suscetível à instabilidade cardiovascular. Por isso, torna-se imperioso utilizar técnica anestésica que mantenham estáveis os parâmetros cardiovasculares. A cetamina tem sido amplamente empregada na indução anestésica para o halotano em equinos, conferindo-lhes estabilidade cardiovascular. A cetamina S(+), recentemente disponibilizada no mercado, induz estimulação cardiovascular e possui maior potência anestésica e analgésica em relação à cetamina. Todavia, os efeitos dessa substância, administrada por infusão contínua durante a  manutenção da anestesia pelo halotano em equinos, ainda não foram avaliados. Em face da tendência atual de a infusão continuada da cetamina potencializar os anestésicos inalatórios, considerou-se pertinente avaliar os efeitos cardiovasculares e respiratórios desse isômero de cetamina em equinos anestesiados pelo halotano. Conclui-se que a infusão contínua de 0,01mg/kg/min de cetamina S(+) durante anestesia com 1,5 CAM de halotano em equinos não agravou a depressão cardiorrespiratória promovida por esse anestésico inalatório.
 
PALAVRAS-CHAVES: Cetamina S(+), equinos, halotano, infusão contínua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Valadão, FCAV-UNESP

Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense (1978), especialização (residencia) em Técnica Cirúrgica e Anestesiologia pela FMVZ-UNESP Botucatu em 1979, mestrado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Minas Gerais (1983), doutorado em Patologia Experimental e Comparada pela Universidade de São Paulo (1990), pós-doutorado em Anestesiologia Veterinaria na University of Georgia-EUA (1994-1995), livre docência Anestesiologia Veterinaria pela FCAV-UNESP Jaboticabal (1998) e  pós-doutorado em Medicina Equina no Equine Health Program Studies of Louisiana State University-EUA (2004-2005). Coordenador do programa de PG em Cirurgia Veterinaria da FCAV-UNESP (1998-2001). Orientador e responsável por discipinas na PG em Cirurgia Veterinaria da FCAV-UNESP.  Atualmente é professor adjunto da  FCAV-UNESP Jaboticabal. Tem experiência na especialidade de Cirurgia e Anestesiologia Eqüina, atuando principalmente nos seguintes temas: Endotoxemia e resposta inflamatória, anestesiologia clinica  e experimental, estudo da dor e de técnicas de analgesia epidural. Presta atendimento clínico cirúrgico e anestesiológico no setor de animais de grande porte do Hospital Veterinário da FCAV-UNESP Jaboticabal.

Downloads

Publicado

01-04-2010

Como Citar

Borges, J. H. S., Souza, A. H. de, Dória, R. G. S., Canola, J. C., Santos, P. S. P. dos, & Valadão, C. (2010). EFEITOS DA INFUSÃO CONTÍNUA DE CETAMINA S(+) EM EQÜINOS ANESTESIADOS PELO HALOTANO. Ciência Animal Brasileira, 11(1), 141–148. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/4107

Edição

Seção

Medicina Veterinária