TOPOGRAFIA DO CONE MEDULAR NA ARIRANHA (Pteronura brasiliensis Zimmermann, 1780)

Gilberto Valente Machado, Fernando César Weber Rosas, Stela Maris Lazzarini

Resumo


Com o propósito de disponibilizar dados anatômicos que sirvam de base para a prática das anestesias epidurais, em especial aqueles relativos à topografia do cone medular, foram dissecados três exemplares adultos de ariranha (Pteronura brasiliensis), dois machos e uma fêmea, após morte natural, provenientes do Laboratório de Mamíferos Aquáticos, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Após as dissecações, observou-se que: a) o ápice do cone medular encontra-se ao nível da quarta vértebra lombar (L4) em dois animais (66,6%), sendo um macho e uma fêmea, e entre as vértebras L3 e L4 em um animal (33,3%) macho; b) o cone medular apresentou cerca de 5,50 cm de comprimento, nos três animais estudados, estando sua base sobre a vértebra L3 em dois animais (66,6%), ou entre as vértebras L2 e L3, em um espécime (33,3%); c) intumescência lombar, que se apresentou contínua com a base do cone medular, foi registrada entre as vértebras T12 e L2, nos três espécimes.

PALAVRAS-CHAVES: Anatomia, cone medular, Pteronura brasiliensis.

PALAVRAS-CHAVES: Pteronura brasiliensis, anatomia, cone medular.


Palavras-chave


Anatomia, Animais Silvestres

Texto completo:

PDF




Logotipo do IBICT
Visitantes: contador de visitas