PROCESSAMENTO DO GRÃO DE AVEIA PARA ALIMENTAÇÃO DE VACAS DE DESCARTE TERMINADAS EM CONFINAMENTO

João Restle, Cristian Faturi, Leonir Luis Pascoal, Joilmaro Rodrigo Pereira Rosa, Ivan Luiz Brondani, Dari Celestino Alves Filho

Resumo


Foi estudado o efeito do processamento do grão de aveia-preta sobre o desempenho de vacas de descarte em confinamento. As vacas foram alimentadas com 60% de silagem de milho e 40% de concentrado, composto por grãos de aveia-preta, ureia, calcário calcítico e cloreto de sódio. A forma como se forneceram os grãos aos animais representaram os tratamentos, ou seja, Tratamento 1 com grãos de aveia fornecidos inteiros, Tratamento 2 com 50% dos grãos fornecidos moídos, e Tratamento 3 com 100% dos grãos fornecidos moídos. Os dados foram submetidos à análise de regressão polinomial a 5% de significância. A moagem da aveia não influenciou o consumo dos animais, que apresentaram consumo de 10,563 kg/dia, ou 2,2% quando ajustado para peso vivo e 102,94 g por unidade de tamanho metabólico. O ganho de peso apresentou comportamento linear com a substituição do grão inteiro por grão moído (Y=0,79976+0,0033X), influenciando diretamente a conversão alimentar, que apresentou comportamento linear decrescente (Y=13,21155-0,04021X). Os valores médios de ganho de peso foram de 0,799, 0,967 e 1,129 kg/animal/dia e de conversão alimentar de 13,203, 11,217 e 9,182, respectivamente. A espessura de gordura subcutânea aumentou linearmente com o aumento da inclusão da aveia moída na dieta. O melhor aproveitamento dos grãos moídos conferiu aos animais maior aporte de energia digestível, resultando em maior ganho de peso e peso de abate, fatores que explicam a maior deposição de gordura.

PALAVRAS-CHAVES: Consumo, conversão alimentar, ganho de peso.

Palavras-chave


consumo, conversão alimentar, ganho de peso

Texto completo:

PDF




Logotipo do IBICT
Visitantes: contador de visitas