EFEITO DA PELETIZAÇÃO EM DIETAS CONTENDO COMPLEXO ENZIMÁTICO PARA FRANGOS DE CORTE

Autores

  • Marta Helena Dias da Silveira
  • Jerri Teixeira Zanusso
  • Patrícia Rossi
  • Fernando Rutz
  • Marco Antonio Anciuti
  • Niedi Franz Zauk
  • Carmen Lucia Garcez Ribeiro
  • Paulo Antonio Rabenschlag Brum
  • Juliana Klug Nunes

Palavras-chave:

Aves

Resumo

O trabalho teve como objetivo avaliar se a peletização interfere na atividade enzimática de dietas com um complexo enzimático (CE) produzido utilizando a tecnologia de fermentação no estado sólido. Alojaram-se 216 frangos de corte machos Cobb (1 a 21 dias de idade) em baterias, num total de seis repetições por tratamento e seis aves por tratamento. Os tratamentos consistiram em T1: dieta-controle farelada; T2: dieta-controle peletizada; T3: dieta superestimada com CE farelada; T4: dieta superestimada sem CE farelada; T5: dieta superestimada com CE peletizada; T6: dieta superestimada sem CE peletizada. Reformularam-se dietas com superestimação de 75 kcal EM/kg, 0.1% Ca e P. Observou-se que houve um aumento no ganho de peso, coxa e sobrecoxa com o uso de dieta peletizada. A coloração da carne não foi influenciada pelos tratamentos. Resultados indicaram que dietas com o complexo enzimático não foram afetadas pela peletização (75º C).

PALAVRAS-CHAVES: Cor da carne, desempenho, frango de corte, pellets, resistência óssea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

22-06-2010

Como Citar

Silveira, M. H. D. da, Zanusso, J. T., Rossi, P., Rutz, F., Anciuti, M. A., Zauk, N. F., Ribeiro, C. L. G., Brum, P. A. R., & Nunes, J. K. (2010). EFEITO DA PELETIZAÇÃO EM DIETAS CONTENDO COMPLEXO ENZIMÁTICO PARA FRANGOS DE CORTE. Ciência Animal Brasileira, 11(2), 326–333. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/3846

Edição

Seção

Produção Animal