SUPEROVULAÇÃO EM ÉGUAS DA RAÇA CRIOULA E QUARTO DE MILHA COM EXTRATO DE PITUITÁRIA EQUINA (EPE)

Resumo

Este trabalho compara a resposta superovulatória de éguas doadoras de embriões das raças Quarto de Milha (QM) e Crioula, utilizando um protocolo com baixa dose de extrato de pituitária equina (EPE). Oito éguas QM e seis éguas Crioulas foram acompanhadas durante 3 ciclos estrais consecutivos, sendo que cada ciclo corresponde a um grupo. Grupo Controle – monitoramento do crescimento folicular até a ovulação; Grupo EPE – monitoramento ultrassonográfico até que os folículos atingissem cerca de 20 mm de diâmetro e, posteriormente, administração de 7 mg de EPE, duas vezes ao dia, até a indução da ovulação com 2500UI de hCG; Grupo Pós-EPE – idem ao grupo controle. Os dados foram submetidos à análise de variância, utilizando o procedimento GLM do pacote estatístico SAS, sendo previamente testadas para normalidade dos resíduos, e as médias comparadas pelo teste de Tukey ao nível de 5%. Nas éguas Crioulas tratadas com EPE houve um aumento no número de ovulações (p=0,0534), com média de 3,33±2,06 quando comparadas aos grupos controle e pós-EPE e às éguas da raça QM (2,00±0,53). O tratamento com EPE na dose preconizada permitiu uma melhor resposta superovulatória e produção embrionária nas éguas Crioulas, quando comparadas com as éguas Quarto de Milha.
Palavras-chave: Equinos. Embrião. Superovulação. Transferência de embriões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deise Keli Farias, UDESC

PPGCA

André Thaler Neto, UDESC

Departamento de Produção Animal e Alimentos

Alceu Mezzalira, UDESC

Departamento de Medicina Veterinária

Fabricio Desconsi Mozzaquatro, Universidade Federal do Pampa

Departamento de Medicina Veterinária

Publicado
26-04-2019
Como Citar
Farias, D., Bunn, S., Friso, A., Thaler Neto, A., Mezzalira, A., Pinto, M., Oliveira, R., & Mozzaquatro, F. (2019). SUPEROVULAÇÃO EM ÉGUAS DA RAÇA CRIOULA E QUARTO DE MILHA COM EXTRATO DE PITUITÁRIA EQUINA (EPE). Ciência Animal Brasileira, 20(1), 1-8. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/37582
Seção
ZOOTECNIA