DERMATITE DIGITAL BOVINA: ASPECTOS RELACIONADOS À EVOLUÇÃO CLÍNICA

  • Maria Auxiliadora Leão
  • Luiz Antônio Franco da Silva
  • Maria Clorinda Soares Fioravanti
  • Valéria de Sá Jayme
  • Marco Augusto Machado Silva
  • Paulo Henrique Jorge da Cunha
  • Olízio Claudino da Silva
  • Rogério Elias Rabelo
  • Leonardo Marçal da Silva
  • Bruno Rodrigues Trindade

Resumo

A dermatite digital bovina é uma enfermidade de etiologia multifatorial e patogenia complexa que representa grande entrave produtivo e econômico à pecuária mundial.O objetivo deste estudo foi avaliar aspectos relacionados à evolução clínica da enfermidade após antibioticoterapia parenteral. Foram utilizadas 28 fêmeas bovinas, da raça Girolando, com idade entre quatro a dez anos, portadoras de lesões digitais clinicamente caracterizadas como dermatite digital. Os bovinos enfermos foram distribuídos em dois grupos (I e II) de quatorze animais. Aqueles pertencentes ao grupo I constituíram o grupo-controle, em que,portanto, não foi utilizada antibioticoterapia. Nas vacas que compuseram o grupo II, aplicaram-se, por via intramuscular,20 mg/kg de peso corporal de oxitetraciclina, em intervalos de 48 horas, até completar quatro aplicações. Ao final de um ano de observação, a maioria das lesões na pele do espaço interdigital entre os talões evoluiu para a forma clínica erosiva e aquelas localizadas nos pontos limítrofes entre apele e o cório coronário dos talões, na parede abaxial do estojo córneo ou no espaço interdigital dorsal, evoluíram para a forma proliferativa. Não houve cura de nenhum animal em ambos os grupos, porém a antibioticoterapia parenteral reduziu a gravidade das lesões. PALAVRAS-CHAVE: Antibioticoterapia, bovinos, dermatite digital, evolução clínica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
31-10-2006
Como Citar
Leão, M., Silva, L., Fioravanti, M., Jayme, V., Silva, M., Cunha, P., Silva, O., Rabelo, R., Silva, L., & Trindade, B. (2006). DERMATITE DIGITAL BOVINA: ASPECTOS RELACIONADOS À EVOLUÇÃO CLÍNICA. Ciência Animal Brasileira, 6(4), 267-277. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/374
Seção
Medicina Veterinária