EMPREGO DE DESMÓTOMO ESPECIAL NO TRATAMENTO CIRÚRGICO DA FIXAÇÃO DORSAL DE PATELA EM BOVINOS

Autores

  • Olízio Claudino da Silva UFG
  • Luiz Antônio Franco da Silva UFG
  • Neusa Margarida Paulo UFG
  • Afonso Henrique Miranda UFG
  • Gracinda Mariana Calaça UFG
  • Maria Auxiliadora Leão UFG
  • Maria Ivete de Moura UFG

Palavras-chave:

Sanidade Animal

Resumo

Fixação dorsal de patela é uma enfermidade observada em grandes animais, ocorrendo em bovinos de forma uni ou bilateral, em ambos os sexos, em diferentes raças, geralmente em adultos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a eficácia de um instrumento cirúrgico especialmente desenvolvido para a correção da fixação dorsal de patela em bovinos, comparar os resultados obtidos com os observados ao empregar o método convencional utilizado e acompanhar a evolução do pós-operatório. Foram submetidas, à desmotomia patelar medial, 32 fêmeas bovinas portadoras da enfermidade em sua forma unilateral, alocadas em quatro grupos de oito animais (GI, GII, GIII e GIV). Após jejum de doze horas, tranqüilização com xilazina 2%, contenção em decúbito lateral e anestesia local com lidocaína 2% sobre o ligamento patelar medial, submeteram-se os bovinos de GI e GII à desmotomia, após incisão cutânea de quatro centímetros. Nos animais pertencentes ao GIII e GIV, rea­lizou-se punço-incisão de meio centímetro, seccionando pele e fáscias dos músculos grácil e sartório, praticando-se a desmotomia com instrumento cirúrgico confeccionado em aço inoxidável desenvolvido especificamente para esse fim. Para visibilizar a desmotomia utilizando esse instrumento cirúrgico, empregou-se, experimentalmente, a videocirurgia. Na dermorrafia empregou-se fio de algodão 2-0, somente nos animais de GI e GII. No pós-operatório, apenas os bovinos de GI e GIII receberam terapia antimicrobiana, avaliando-se durante 28 dias a ocorrência de edema, deiscência de ferida, formação de abscesso, granuloma e evolução cicatricial da ferida cirúrgica nos animais de todos os grupos. Não foi detectada diferença no que concerne ao uso de antibacteriano. Edema, deiscência de ferida cirúrgica e abscesso ocorreram nos bovinos de GI e GII e a cicatrização clínica foi antecipada nos bovinos de GIII e GIV. Todos os animais se recuperaram, entretanto o desmótomo especial propiciou maior rapidez às intervenções, que foram minimamente invasivas e com menores índices de complicações pós-operatórias.PALAVRAS-CHAVES: Aparelho locomotor, claudicação, desmotomia, vacas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

03-04-2008

Como Citar

Silva, O. C. da, Silva, L. A. F. da, Paulo, N. M., Miranda, A. H., Calaça, G. M., Leão, M. A., & Moura, M. I. de. (2008). EMPREGO DE DESMÓTOMO ESPECIAL NO TRATAMENTO CIRÚRGICO DA FIXAÇÃO DORSAL DE PATELA EM BOVINOS. Ciência Animal Brasileira, 9(1), 188–196. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/3678

Edição

Seção

Medicina Veterinária