UTILIZAÇÃO DE GLICEROL E ETILENOGLICOL COMO CRIOPROTETORES NA CONGELAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO

Autores

  • Rodrigo Freitas Bittencourt
  • Antônio de Lisboa Ribeiro
  • Anselmo Domingos Ferreira Santos
  • Rogério Furst
  • Rafael Bruno Santos Teixeira
  • Marcos Chalhoub
  • Ana Paula Portela
  • Sidney Gonçalves Gonzalez Alves
  • Ana Karine Almeida
  • José Domingos Guimarães

Resumo

Dez amostras de sêmen de dois reprodutores caprinos, da raça Parda-alpina, colhidas em vagina artificial, foram submetidas a quatro tratamentos para avaliação da eficiência do etilenoglicol e do glicerol, associados ou não ao EDTA, na criopreservação da célula espermática caprina. O diluente usado era à base de Tris-gema de ovo contendo 7% de glicerol (glicerol E glicerol+EDTA) ou 7% de etilenoglicol (etilenoglicol e etilenoglicol + EDTA), sendo que nos grupos glicerol+EDTA e etilenoglicol+EDTA foi associado ao diluente 0,1% de EDTA. As amostras foram mantidas por 60 minutos em geladeira a 40C, onde então era efetuada a congelação em nitrogênio (-1960C). A descongelação foi realizada em banho-maria a 370C por 30segundos. As médias obtidas para motilidade (%) a descongelação, para os grupos glicerol, glicerol+EDTA, etilenoglicol, etilenoglicol+EDTA, foram, respectivamente, 51%; 61%; 10% e 12%. Os grupos que utilizaram o glicerol como crioprotetor obtiveram melhores taxas de motilidade pós-descongelação, principalmente quando foi associado ao diluidor o EDTA (grupo glicerol+EDTA). Porém, esse resultado foi comprometido pelos maiores índices de alterações patológicas nos grupos que continham o glicerol. PALAVRAS-CHAVE: Caprinos, criopreservação, sêmen, glicerol, etilenoglicol, EDTA

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

26-10-2006

Como Citar

Bittencourt, R. F., Ribeiro, A. de L., Santos, A. D. F., Furst, R., Teixeira, R. B. S., Chalhoub, M., Portela, A. P., Alves, S. G. G., Almeida, A. K., & Guimarães, J. D. (2006). UTILIZAÇÃO DE GLICEROL E ETILENOGLICOL COMO CRIOPROTETORES NA CONGELAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO. Ciência Animal Brasileira, 5(1), 27–34. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/316

Edição

Seção

Produção Animal