OBSERVAÇÕES EPIDEMIOLÓGICAS DE HELMINTOS GASTRINTESTINAIS EM OVELHAS MESTIÇAS MANEJADAS EM PASTAGENS COM DIFERENTES HÁBITOS DE CRESCIMENTO

  • Leonardo Martin Nieto
  • Elias Nunes Martins
  • Francisco de Assis Fonseca de Macedo
  • Marilice Zundt

Resumo

Ovelhas, provenientes do acasalamento de fêmeas Corriedale com machos das raças Bergamácia e Hampshire Down, foram divididas em três grupos e manejadas em piquetes compostos exclusivamente por uma das seguintes espécies de gramíneas: Panicum maximun Jacq., Cynodon dactylon Pers. e Paspalum notatum Flueeg., com o objetivo de avaliar a infecção por helmintos gastrintestinais. A cada 28 dias, durante um período de um ano, foram obtidas informações sobre o número de ovos por grama de fezes (OPG) e realizadas culturas de larvas a partir das amostras de fezes de todos os animais. Os animais que pastejaram Paspalum notatum Flueeg. apresentaram a maior contagem de OPG e não houve diferença estatística (P>0.05) entre os grupos genéticos empregados. O gênero Haemonchus predominou nas culturas de larvas. Foi observada também a influência do mês de coleta sobre o OPG (P<0.05). PALAVRAS-CHAVE: Epidemiologia, Haemonchus, OPG, ovinos, Trichostrongylus.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
25-10-2006
Como Citar
Nieto, L., Martins, E., Macedo, F., & Zundt, M. (2006). OBSERVAÇÕES EPIDEMIOLÓGICAS DE HELMINTOS GASTRINTESTINAIS EM OVELHAS MESTIÇAS MANEJADAS EM PASTAGENS COM DIFERENTES HÁBITOS DE CRESCIMENTO. Ciência Animal Brasileira, 4(1), 45-51. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/297
Seção
Medicina Veterinária