SOBREVIDA DAS CÉLULAS ESPERMÁTICAS EQUINAS CRIOPRESERVADAS APÓS DESCONGELAÇÃO E DILUIÇÃO UTILIZANDO-SE DOIS DILUENTES COMERCIAIS

Marina Ferreira Zimmermann, Adalberto Farinasso, Cely Marini Melo, Frederico Ozanam Papa, Jairo Pereira Neves

Resumo


O presente estudo teve por objetivo avaliar parâmetros de motilidade e viabilidade in vitro na diluição do crioprotetor dimetil-formamida a 5% pós-descongelação para concentrações de 2,5% e 1,25%, mediante utilização de dois diluentes comerciais adicionados junto ao sêmen. Após a descongelação, as amostras foram diluídas com a finalidade de manter as concentrações finais (2,5% e 1,25%) de crioprotetor, utilizando-se dois diluentes comerciais (FR4® e Botu-Crio®) em dois tempos: inicial (Ti) e final (Tf).  Empregaram-se quinze amostras de ejaculados distintos de cinco garanhões de raças nacionais. Os parâmetros de motilidade foram observados através da análise computadorizada e os de integridade de membrana plasmática pela microscopia de epifluorescência. Verificou-se melhora nos parâmetros de motilidade total e progressiva dos espermatozóides, no tempo final (P<0,05) com o diluente Botu-Crio® em relação ao FR4®. Não houve diferença (P>0,05) entre os tratamentos quanto à integridade de membrana plasmática.

PALAVRAS-CHAVES: Crioprotetor, congelação, descongelação, diluente, equino.

Palavras-chave


Reprodução Animal

Texto completo:

PDF




Logotipo do IBICT
Visitantes: contador de visitas