CUSTOS DE PRODUÇÃO DE FÊMEAS BOVINAS LEITEIRAS DO NASCIMENTO AO PRIMEIRO PARTO

  • Glauber Santos Universidade Federal de Lavras Departamento de Medicina Veterinária Caixa Postal 3037
  • Marcos Aurélio Lopes Universidade Federal de Lavras Departamento de Medicina Veterinária Caixa Postal 3037
Palavras-chave: Bovinocultura de leite, Criação de animais, Custo de produção

Resumo

Objetivou-se apresentar o custo de produção de fêmeas bovinas leiteiras Holandesa e mestiças (Holandês-Gir), nas fases de cria e recria e, ainda, identificar os componentes que exerceram maior representatividade sobre os custos finais da atividade. Nos dois grupamentos genéticos, a cria e a recria compreenderam ao período do nascimento ao desaleitamento (entre 90 e 100 dias) e do desaleitamento ao parto, respectivamente. As novilhas foram inseminadas ao alcançarem 360 kg de peso corporal, o que ocorreu entre 14 e 16 meses, para fêmeas Holandesas, e entre 19 e 21 meses, para as mestiças, resultando numa previsão da idade ao primeiro parto ao redor de 23 a 25 e 28 a 30 meses, respectivamente. Os custos operacionais totais de uma fêmea bovina leiteira da raça Holandesa e mestiça foram de R$3.240,28 e R$2.857,15, respectivamente. No entanto, a idade ao primeiro parto nas fêmeas puras foi antecipada em 89 dias. Os itens com maiores representatividades no custo operacional efetivo foram a alimentação, mão-de-obra e despesas diversas, em ambos os sistemas de produção.

PALAVRAS-CHAVE: bovinocultura de leite; criação de animais; custo de produção.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Glauber Santos, Universidade Federal de Lavras Departamento de Medicina Veterinária Caixa Postal 3037
Mestre em Ciências Veterinárias e graduado em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Tem experiência dentro da zoootecnia na área de bovinos de leite, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão de sistemas de produção de bovinos (planejamento de rebanhos, custo de produção e análise de rentabilidade) e produção de bovinos leiteiro. Contribuiu na condução de vários experimentos em nutrição de ruminantes, junto com o núcleo de estudo Grupo do Leite - UFLA.
Marcos Aurélio Lopes, Universidade Federal de Lavras Departamento de Medicina Veterinária Caixa Postal 3037
Possui graduação em Licenciatura Plena em Ciências Agrícolas pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1985), mestrado em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (1994) e doutorado em Zootecnia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP - FCAV), em 2000. Atualmente é professor do Departamento de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Lavras. Tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em Produção Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão de sistemas de produção de bovinos (planejamento de rebanhos, custo de produção, análise de rentabilidade e impacto econômico na bovinocultura), produção de bovinos, rastreabilidade e informática aplicada a produção animal. É autor de três livros e de dezenas de artigos publicados no Brasil e exterior. Orientador de estudantes de pós graduação (doutorado, mestrado e especialização), iniciação científica (graduação e bolsista júnior), estagiários e estudantes em atividades vivenciais. É tambem coordenador de diversos projetos de pesquisa e atividades de extensão rural, além de consultor "ad hoc" da CAPES, CNPq e diversas revistas científicas. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.
Publicado
28-03-2014
Como Citar
Santos, G., & Lopes, M. A. (2014). CUSTOS DE PRODUÇÃO DE FÊMEAS BOVINAS LEITEIRAS DO NASCIMENTO AO PRIMEIRO PARTO. Ciência Animal Brasileira, 15(1), 11-19. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/14634
Seção
Produção Animal