VIABILIDADE DE Escherichia coli PRODUTORA DE TOXINA SHIGA (STEC) NÃO-O157 EM QUEIJO TIPO MINAS FRESCAL.

  • Caroline Peters Pigatto UNESP
  • Rubén Pablo Schocken-Iturrino UNESP
  • Cyntia Maria Telles Fadel-Pichetch UFPR
  • Tammy Priscila Chioda UNESP
  • Juliano Vittori UNESP
  • José Moacir Marin USP
Palavras-chave: Higiene e Inspeção de alimentos

Resumo

Escherichia coli, produtora de toxina Shiga (STEC), um patógeno emergente capaz de causar diarreia, colite hemorrágica e síndrome hemolítica urêmica em humanos, representa um grave problema de saúde pública em todo o mundo. O principal reservatório de STEC são os bovinos. STEC são transmitidas aos humanos, principalmente através de alimentos contaminados, destacando-se aqueles de origem bovina como carne, leite e seus derivados. O objetivo deste trabalho foi avaliar a viabilidade de STEC não-O157 em queijo minas frescal preparado com leite artificialmente contaminado com diferentes cepas dessas bactérias. Os queijos foram mantidos a 4°C e analisados no 1º, 2º, 4º, 6º e 10º dias de estocagem. As cepas de STEC mantiveram-se viáveis em 100% (32/32) dos queijos mantidos sob refrigeração por até dez dias. Os resultados mostram que o queijo minas pode ser veículo de transmissão de STEC. Recomenda-se a adoção de métodos higiênicos e sanitários desde a ordenha até o processo de produção do queijo para reduzir a possibilidade de contaminação com STEC.

PALAVRAS-CHAVES: PCR, queijo minas, segurança alimentar, STEC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Peters Pigatto, UNESP
Doutora em Medicina Veterinária Preventiva UNESP - Jaboticabal
Rubén Pablo Schocken-Iturrino, UNESP
Prof. Titular da Disciplina Microbiologia Zootécnica. Departamento de Patologia Veterinária UNESP-Jaboticabal
Cyntia Maria Telles Fadel-Pichetch, UFPR
Profa.Dra. da Disciplina Bacteriologia Clínica e Biologia Molecular. Departamento de Patologia Médica UFPR-Paraná
Tammy Priscila Chioda, UNESP
Doutoranda do Curso de Microbiologia UNESP-Jaboticabal
Juliano Vittori, UNESP
Doutorando do Curso de Microbiologia UNESP-Jaboticabal
José Moacir Marin, USP
Prof.Dr.Departamento de Morfologia, Estomatologia e Fisiologia. USP-Ribeirão Preto
Publicado
03-07-2009
Como Citar
Pigatto, C., Schocken-Iturrino, R., Fadel-Pichetch, C. M., Chioda, T., Vittori, J., & Marin, J. (2009). VIABILIDADE DE Escherichia coli PRODUTORA DE TOXINA SHIGA (STEC) NÃO-O157 EM QUEIJO TIPO MINAS FRESCAL. Ciência Animal Brasileira, 10(2), 663-668. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/vet/article/view/1304
Seção
Nota Científica