O papel das famílias no desenvolvimento de crianças com paralisia cerebral

Autores

  • Marlene Barbosa de Freitas Reis Universidade Estadual de Goiás (UEG), Inhumas, Goi´ás, Brasil, marlenebfreis@hotmail.com
  • Juliana Cândido Queroz Rede Municipal de Educação de Aparecida de Goiânia (SME), Aparecida de Goiânia, Goiás, Brasil, jullyana-cq@hotmail.com
  • Franciele Virgínia da Silva Carvalho Secretaria Municipal de Educação de Anápolis (SME), Anápolis, Goiás, Brasil, francielevivi@yahoo.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v32i2.70841

Resumo

Este texto é decorrente de reflexões de uma pesquisa desenvolvida no ano de 2018 e envolve a dicotomia família e inclusão. Trata-se da observação e do envolvimento com a educação inclusiva nas escolas públicas ao longo da trajetória profissional das pesquisadoras. Apresentou-se um pouco de suas percepções e contribuições no processo de desenvolvimento humano e na construção da autonomia da criança com deficiência. O trabalho se baseia em uma pesquisa qualitativa, a partir do método de pesquisa narrativa, fundamentado por Clandinin e Connelly (2015). As histórias e experiências narradas levaram ao entendimento sobre o papel exercido por cada família como a principal responsável pelo desenvolvimento e inclusão da criança com deficiência de forma ativa na sociedade. Para compreender teoricamente o envolvimento das famílias, realizou-se a revisão de literatura por meio de autores, como Chacon (1995), Mantoan (2003), Duarte (2010) e Arioza (2017). Os dados revelaram que são necessárias mais discussões sobre a educação inclusiva, o olhar para as famílias, seus enfrentamentos,
superações e o modo de lidar com a questão da deficiência. Observou-se, ainda, que é preciso entender o quão primordial é o papel das famílias para o desenvolvimento das crianças com deficiências e como suas ações incidem diretamente na qualidade de vida das mesmas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlene Barbosa de Freitas Reis, Universidade Estadual de Goiás (UEG), Inhumas, Goi´ás, Brasil, marlenebfreis@hotmail.com

Doutora em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento pela UFRJ. Docente titular da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Docente permanente do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Educação, Linguagem e Tecnologias (PPG-IELT/UEG/Anápolis). Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE-UEG/Inhumas).

Juliana Cândido Queroz, Rede Municipal de Educação de Aparecida de Goiânia (SME), Aparecida de Goiânia, Goiás, Brasil, jullyana-cq@hotmail.com

Especialista em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão escolar (UAB-UnB). Professora efetiva da
Rede Municipal de Educação de Aparecida de Goiânia/GO.

Franciele Virgínia da Silva Carvalho, Secretaria Municipal de Educação de Anápolis (SME), Anápolis, Goiás, Brasil, francielevivi@yahoo.com

Coordenadora Pedagógica de Educação Infantil em Instituição da Secretaria Municipal de Educação de
Anápolis/GO.

Downloads

Publicado

2021-11-18

Como Citar

BARBOSA DE FREITAS REIS, M.; CÂNDIDO QUEROZ, J.; DA SILVA CARVALHO, F. V. O papel das famílias no desenvolvimento de crianças com paralisia cerebral. Revista Polyphonía, Goiânia, v. 32, n. 2, p. 175–194, 2021. DOI: 10.5216/rp.v32i2.70841. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sv/article/view/70841. Acesso em: 28 maio. 2022.