Formação docente sob a perspectiva da complexidade: um olhar sobre impactos nos distúrbios musculoesqueléticos e na qualidade de vida dos professores

Autores

  • Ricelli Endrigo Ruppel da Rocha Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (UNIARP)
  • Kênia Paulino de Queiroz Souza Universidade Estadual do Tocantins (UNITINS)
  • Antonio Pantoja Vallejo Universidade de Jaén (UJA)

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v31i1.66958

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi analisar os impactos do programa pautado na perspectiva da complexidade sobre os distúrbios musculoesqueléticos e a qualidade de vida de docentes. Participaram da pesquisa 193 docentes do sexo feminino da Educação Infantil e do Ensino Fundamental de escolas da rede municipal de educação de três municípios de Santa Catarina. Os participantes foram divididos em dois grupos: o Grupo 1 (n = 100) foi composto por professoras que não participaram do programa, e o Grupo 2 (n = 93), por professoras que participaram do programa de formação continuada durante 2 anos. O Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares foi utilizado para avaliar os distúrbios musculoesqueléticos, e o questionário WHOQOL-bref, para avaliar a qualidade de vida. Os resultados mostraram que as partes superior e inferior das costas, o pescoço, os ombros, os punhos e as mãos foram as regiões mais acometidas pelos distúrbios musculoesqueléticos em ambos os grupos. Quando comparados os distúrbios musculoesqueléticos entre os grupos, as professoras do Grupo 1 apresentaram maior frequência nos 7 dias que antecederam a pesquisa (16,4%) que as professoras do Grupo 2 (10,7%) (p<0,05). Na comparação da percepção da qualidade de vida entre os grupos, o Grupo 2 apresentou melhores escores na mediana de domínio Físico (p<0,05), Psicológico (p<0,01), Social (0,05) e Ambiental (0,001) quando comparado ao Grupo 1. A percepção da qualidade de vida geral (QV geral) foi melhor nas professoras do Grupo 2 quando comparada ao Grupo 1 (p<0,001). Em resumo, o programa de Formação-Ação em Escolas Criativas melhorou a saúde e a qualidade de vida de docentes da Educação Básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-12-2020

Como Citar

Endrigo Ruppel da Rocha, R. ., Paulino de Queiroz Souza, K. ., & Pantoja Vallejo, A. . (2020). Formação docente sob a perspectiva da complexidade: um olhar sobre impactos nos distúrbios musculoesqueléticos e na qualidade de vida dos professores. Revista Polyphonía, 31(1), 205–224. https://doi.org/10.5216/rp.v31i1.66958

Edição

Seção

Dossiê Escola, Complexidade e Justiça Social