As incertezas como narrativa do imprevisível: o real e o complexo

Autores

  • Alfredo Pena-Vega Institute Interdisciplinaire d’Anthropologie du Contemporain - Centre Edgar Morin
  • Izabel Petraglia Universidade Metodista de São Paulo – UMESP

DOI:

https://doi.org/10.5216/rp.v31i1.66949

Resumo

Este artigo, se propõe a apresentar e refletir sobre quatro diferentes modos de explicar fenômenos complexos: a questão epistêmica, a subjetividade da ameaça, o mal diante da negação e a incerteza como narrativa do imprevisível. A metodologia é bibliográfica de natureza reflexiva e a base teórica respalda-se na epistemologia da complexidade, de Edgar Morin e outros autores. Apresentamos e discutimos duas catástrofes existenciais: as mudanças climáticas e a pandemia de Covid-19 que assolam a humanidade e nos mostram as imprevisibilidades diante da ciência e das ações humanas. O texto coloca a educação como perspectiva de autoanálise e autocrítica para a transformação da realidade e aposta na esperança de ecologização das práticas e das ideias para o enfrentamento dos desafios da contemporaneidade. Considerando ainda, os Objetivos de desenvolvimento sustentável, da ONU, com respeito, solidariedade e fraternidade, os autores entendem que talvez seja possível um mundo melhor, com mais justiça social, cidadãos mais participativos e sujeitos mais felizes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-12-2020

Como Citar

Pena-Vega, A. ., & Petraglia, I. . (2020). As incertezas como narrativa do imprevisível: o real e o complexo. Revista Polyphonía, 31(1), 104–124. https://doi.org/10.5216/rp.v31i1.66949

Edição

Seção

Dossiê Escola, Complexidade e Justiça Social