A escola: construção social, acontecimento e cotidiano

  • Cristina Batista de Araujo

Resumo

O presente artigo trata de apresentar a escola como uma instituição social que, como tal, sofre as interferências do modelo de sociedade em que se insere e, por não estar isenta, participa do processo de criação e manutenção de verdades e de produção de subjetividades. Igualmente, a escola é estudada como uma construção social passível de ser discursivizada e constituída por sentidos que se constroem e se manifestam, dentre outras formas, nas práticas cotidianas de interação e, por conseguinte, se estabilizam/desestabilizam à medida que os sujeitos os reiteram. Sendo assim, procurou-se suscitar a perspectiva discursiva da escola, captada durante alguns momentos do cotidiano o Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (Cepae/UFG), no decorrer do ano de 2006, que ressoaram seu caráter sócio-histórico, por mais singulares que fossem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristina Batista de Araujo
Técnica em Assuntos Educacionais do Setor de Apoio à Ação Pedagógica do Cepae/UFG
Publicado
13-04-2009
Como Citar
Araujo, C. B. de. (2009). A escola: construção social, acontecimento e cotidiano. Revista Polyphonía, 19(2), 249-266. https://doi.org/10.5216/rp.v19i2.5951
Seção
Outros Artigos