Filhos do paraíso: a ética no mundo infantil

  • Glacy Queiros de Roure Pontifícia Universidade Católica de Goiás.
  • Neisi Maria da Guia Silva Universidade Federal de Goiás.

Resumo

O propósito deste estudo é perceber a experiência da infância no filme Filhos do paraíso (1997). Um filme iraniano, dirigido por Majid Majidi, com direção de fotografia de Parviz Malekzaade, baseado em fatos reais, que nos conta a história de dois irmãos, Ali (9 anos) e Zahra (6 anos), os quais dividem um mesmo par de tênis para ir à escola. Muitas questões são tratadas no filme mostrando-nos o olhar da criança que a todo tempo se mostra solidária e capaz de se posicionar perante as dificuldades que a vida lhes apresenta. O espaço geográfico é o da periferia, que retrata bem os problemas de infraestrutura. São também levantadas questões humanísticas relativas ao amor, à ética, à honestidade, à solidariedade e ao companheirismo. Encontramos nessa família, e nos personagens coadjuvantes, importantes reflexões nesse sentido, principalmente sobre a dignidade no enfrentamento da pobreza e do sonho com um futuro melhor. Ainda é possível observar na película a importância do pai e dos vínculos afetivos na constituição do sujeito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Glacy Queiros de Roure, Pontifícia Universidade Católica de Goiás.
Doutora em Estudos Linguísticos pela Unicamp. Professora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás.
Neisi Maria da Guia Silva, Universidade Federal de Goiás.
Doutoranda em Educação pela PUC/Goiás. Professora da Universidade Federal de Goiás.
Publicado
27-09-2016
Como Citar
Roure, G. Q. de, & da Guia Silva, N. M. (2016). Filhos do paraíso: a ética no mundo infantil. Revista Polyphonía, 28(1), 183-198. https://doi.org/10.5216/rp.v28i1.43458