As escolas quilombolas em Goiás – retrato da escola na relação com o poder público dos anos 2000

  • Cristiane Maria Ribeiro Instituto Federal Goiano/Urutaí.
  • Mariana Cunha Pereira Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás.

Resumo

Este manuscrito tem por objetivo discutir sobre o quadro político em que se encontram as escolas quilombolas do estado de Goiás. Situamos essas escolas no contexto da política de reconhecimento das terras quilombolas e desse modo expressa que os sujeitos sociais interagem na relação com o poder público, o que significa dizer que a escola está inserida numa realidade sócio-política de tensão e conflitos. Acreditamos que a relação escolas quilombola e poder público, no atual governo do estado de Goiás têm refletido uma situação de descontinuidade da política pública. Para elaborar essa reflexão nos embasamos em pesquisas de campo realizadas sobre as escolas quilombolas dos quilombos Cavalcante e Mesquita. Portanto, o relatório da pesquisa intitulada: POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO PARA COMUNIDADES RURAIS NEGRAS - Quilombos (Brasil)–Levantamento Socioeducacional Sobre os Professores das Escolas Quilombolas em Goiás e levantamentos realizados junto ao setor de educação do campo da Secretaria de Educação de Goiás foram fundamentais para a constituição deste. Por fim dizer que encontramos nas escolas tais problemas: qualificação dos educadores, infra-estrutura, sem acesso a internet e sem recursos didáticos mais simples, porém, identificamos sujeitos sociais participativos e de muito engajamento político no seu quer fazer docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiane Maria Ribeiro, Instituto Federal Goiano/Urutaí.
Professora do Instituto Federal Goiano/Urutaí. Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2005). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (2000). Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Goiás (1995).
Mariana Cunha Pereira, Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás.
Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás. Doutora em Antropologia - Antropologia da América Latina e Caribe (2005/UnB). Mestre em Educação (1995/UnB). Graduada em Ciências Sociais na Universidade Federal do Ceará (1985/UFC).
Publicado
15-07-2016
Como Citar
Ribeiro, C. M., & Pereira, M. C. (2016). As escolas quilombolas em Goiás – retrato da escola na relação com o poder público dos anos 2000. Revista Polyphonía, 27(1), 259-270. https://doi.org/10.5216/rp.v27i1.42300
Seção
Dossiê Escolas Criativas