Práticas investigativas e tecnologias digitais na formação continuada de professores dos anos iniciais do ensino fundamental: o ensino sobre tratamento da informação para além do paradigma do exercício

  • Maria Jose Lopes de Araújo UFPA / IEMCI/PPGDOC/ Bolsista FAPESPA.
  • France Fraiha-Martins UFPA / IEMCI/PPGDOC.

Resumo

Esta pesquisa, em andamento, se configura em uma investigação qualitativa (DESLAURIERS e KÉRISIT, 2008), na modalidade narrativa (CLANDININ e CONNELY, 2011). Ao investigar as próprias práticas de formação de professores que ensinam Matemática para o 4º e 5º anos do Ensino Fundamental, buscamos compreender em que termos uma proposta de formação continuada, que privilegia práticas de investigação associadas às tecnologias digitais para lidar com o componente curricular tratamento da informação, contribui para a produção de novos significados a respeito do ensino desses conhecimentos de forma (inter/ trans) disciplinar, ultrapassando o modelo do paradigma do exercício, a fim de tornar as aprendizagens dos conhecimentos matemáticos socialmente relevantes e plenas de sentido. Desde sua inserção para os anos iniciais, em 1997 (PCN), o bloco de Tratamento de Informação, vem sendo implementado no ensino de forma ainda tímida, descontextualizado e pouco atrativo que inspire investigação e promova aprendizagens e cidadania.Portanto, assumimos como objeto investigativo a formação continuada de professores do II Ciclo para o ensino de tratamento da informação. O problema de pesquisa é: Em que termos práticas investigativas utilizando tecnologias digitais contribuem para a formação docente no âmbito do ensino nos anos iniciais sobre tratamento da informação? Buscamos apoio nos autores Alro e Skovsmose (2010), Ponte, D’Ambrósio (1991), Borba e Penteado (2001), Nóvoa (1992), Freire (1996), Imbernón (2006), Valente (2003), Almeida (2005) e Fagundes (1998). Para tratar do material empírico, assumiremos a Análise Textual Discursiva (MORAES e GALIAZZI, 2007). Pretendemospromover 40 horas de encontros presenciais,com atividades que fomentemexploração, formulação, conjecturas, testesevalidações. Tendo como instrumentos textos informativos e reflexivos, computadores com internet, buscaremosmediar processos de reflexão sobre a temática e o modelo de formação desenvolvido com as tecnologias digitais, enfatizando a WebQuest. Assim, propiciar um novo olhar sobre suas práxis, ao tempo em que desenvolvo minha (auto)formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
21-10-2015
Como Citar
Araújo, M. J. L. de, & Fraiha-Martins, F. (2015). Práticas investigativas e tecnologias digitais na formação continuada de professores dos anos iniciais do ensino fundamental: o ensino sobre tratamento da informação para além do paradigma do exercício. Revista Polyphonía, 25(2), 309-315. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/sv/article/view/38181