Compreensões baseadas em atividades com softwares

  • Simone de Paula Rodrigues Moura Prefeitura Municipal de Anápolis e Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA).
  • Maria de Fátima Teixeira Barreto
  • Ricardo Antonio Gonçalves Teixeira Prefeitura Municipal de Anápolis.

Resumo

A presente pesquisa procura analisar o falar dos alunos na articulação para a elaboração de compreensões em atividades com a utilização de softwares nas aulas de matemática dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Interessa aqui compreender de que forma tais processos de expressão podem auxiliar na aprendizagem de conhecimentos matemáticos. Devido às características e objetos da pesquisa, adotou-se a abordagem qualitativa fenomenológica merleau-pontyana. Os dados foram obtidos por meio de vivências de aulas com uma turma de 29 alunos do quarto ano do Ensino Fundamental da rede municipal de Anápolis-GO, durante as quais se empregaram softwares indicados para o estudo da matemática. Foram realizados 5 encontros, 3 utilizando-se o software “supermercado virtual” e 2 discutindo?se, em sala de aula, as dúvidas surgidas durante o uso desse programa. Todos os encontros destinaram-se à compreensão da atividade desenvolvida por meio do software. O estudo ressalta o falar e o buscar caminhos e soluções para os conteúdos matemáticos visando prosseguir com o software, além do negociar soluções matemáticas com o outro. Por meio desta pesquisa, o olhar se dirigiu para o trabalho com o software em 5 categorias diferentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Simone de Paula Rodrigues Moura, Prefeitura Municipal de Anápolis e Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA).
Professora PIV da Prefeitura Municipal de Anápolis e professora do Centro Universitário de Anápolis (UniEVANGÉLICA).
Maria de Fátima Teixeira Barreto
Graduada pela Universidade Federal do Amazonas.
Publicado
08-10-2015
Como Citar
Moura, S. de P. R., Barreto, M. de F. T., & Teixeira, R. A. G. (2015). Compreensões baseadas em atividades com softwares. Revista Polyphonía, 24(2), 187-197. https://doi.org/10.5216/rp.v24i2.37950