Progressão continuada: equívocos e possibilidades

  • Benigna Maria de Freitas Villas Boas Universidade de Brasília.
  • Maria Susley Pereira Secretaria de Educação do Distrito Federal.
  • Rose Meire da Silva e Oliveira Secretaria de Educação do Distrito Federal.

Resumo

O objetivo deste texto é discutir os equívocos e, sobretudo, as possibilidades da progressão continuada. Dentre os equívocos encontram-se: associá-la à promoção automática e entendêla como um regime e como a constituição de turmas de progressão. Considerada um componente importante da escola não seriada, a progressão continuada não espera o final do ano letivo para acontecer, ocorre a qualquer tempo, permitindo que o estudante avance em seu percurso escolar. Cabe à escola organizar-se para que os agrupamentos e reagrupamentos dos estudantes sejam constantes, atendendo as suas necessidades de aprendizagem. Como no Distrito Federal-DF, a progressão continuada insere-se no Bloco Inicial de Alfabetização (BIA) foi analisado o documento que orienta o seu trabalho pedagógico e aplicado um questionário a um grupo de professores a fim de conhecer suas percepções acerca da utilização desse mecanismo. Assim como os professores participantes de outras pesquisas, os do DF também compreendem a progressão continuada como promoção automática. Como possibilidades citam-se dois mecanismos em uso no BIA: os reagrupamentos de estudantes ao longo do ano e o Projeto Interventivo. A adoção da progressão continuada requer que ela seja compreendida no contexto da avaliação formativa e da escola não seriada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Benigna Maria de Freitas Villas Boas, Universidade de Brasília.
Universidade de Brasília.
Maria Susley Pereira, Secretaria de Educação do Distrito Federal.
Secretaria de Educação do Distrito Federal.
Rose Meire da Silva e Oliveira, Secretaria de Educação do Distrito Federal.
Secretaria de Educação do Distrito Federal.
Publicado
02-10-2013
Como Citar
Villas Boas, B. M. de F., Pereira, M. S., & Oliveira, R. M. da S. e. (2013). Progressão continuada: equívocos e possibilidades. Revista Polyphonía, 23(1). https://doi.org/10.5216/rp.v23i1.26692
Seção
Dossiê: Avaliação Escolar