RECONTEXTUALIZAÇÃO DIDÁTICA E CONTROLE SIMBÓLICO: SUBSÍDIOS PARA CONTINUAR PENSANDO SOBRE O CONHECIMENTO GEOGRÁFICO NA ESCOLA

Autores

Palavras-chave:

ensino de Geografia, conhecimento, recontextualização didática, controle simbólico

Resumo

O presente texto busca explorar conceitos e ideias que visam contribuir para o debate sobre a constituição dos discursos curriculares e suas implicações no processo de formação dos estudantes, especialmente no âmbito do Ensino de Geografia. Serão focalizadas as proposições de Basil Bernstein sobre a recontextualização didática e os dispositivos de controle simbólico embutidos nos discursos curriculares, a fim de destacar elementos que possam contribuir com o avanço da tomada de consciência sobre os desafios e papéis da escola e do ensino da Geografia na formação de juventudes conhecedoras do mundo e de si mesmas. A partir das bases apresentadas o texto propõe aos currículos que se realizam na escola algumas premissas básicas: o trânsito entre diferentes escalas geográficas de análise; a atenção aos contextos primários de socialização dos estudantes; a diferenciação não hierarquizada entre saberes consensuais e científicos; o caráter instrumental dos conceitos geográficos na compreensão das realidades locais; e a preservação da autoria docente na construção dos currículos no âmbito da escola.

Biografia do Autor

Daniel Luiz Stefenon, Universidade Estadual do Centro Oeste

Professor do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro Oeste, Campus de Irati, Paraná, Brasil. Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo.

Endereço profissional: Rua Professora Maria Rosa Zanon de Almeida. CEP 84505-677, Irati – PR.

E-mail: unicentro.daniel@gmail.com

Downloads

Publicado

02-12-2019

Edição

Seção

Artigos