Leitura e processo inferencial: um estudo com o gênero crônica no ensino médio

Autores

  • Ângela Francine Fuza Universidade Federal do Tocantins (UFT), Porto Nacional, Tocantins, Brasil. E-mail: angelafuza@uft.edu.br https://orcid.org/0000-0001-8265-4064
  • Adriana Fernanda Pilati Gomes Instituto Federal do Tocantins (IFTO),Palmas, Tocantins, Brasil. E-mail: adriana.gomes@ifto.edu.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v34.70247

Palavras-chave:

Leitura, Inferência, Descritor, Ensino Médio

Resumo

Este artigo buscou analisar como a habilidade de “inferir uma informação implícita em um texto” foi desenvolvida na leitura de crônicas com estudantes da 2.ª série do Ensino Médio. À luz das concepções interacionista de linguagem e leitura, desenvolveram-se atividade diagnóstica, oficinas de intervenção e avaliação final. Os resultados indicaram maior apropriação da habilidade pelos alunos que estabeleceram inferências textuais e extratextuais, a revelar que estão em processo de desenvolvimento para alcançar o horizonte máximo de compreensão. O estudo reforça a necessidade de trabalho contínuo com a habilidade, por se configurar como uma das mais complexas no processo de desenvolvimento leitor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

APPLEGATE, M. D.; QUINN, K. B.; APPLEGATE, A. J. Levels of thinking required by comprehension questions in informal reading inventories, The Reading Teacher, v. 56, n. 2, p. 174-180, 2002.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação infantil e ensino fundamental. Brasília: MEC/SEF, 2017.

BRASIL, INEP. Brasil no Pisa 2015. Brasília: INEP, 2016. Available at: http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/documentos/2016/pisa_brasil_2015_sumario_executivo.pdf. Acessed on: Fev. 15th, 2017.

BRASIL. Parâmetros Curriculares da Educação Nacional – Língua Portuguesa. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, DF: MEC, 1998.

BRASIL, MEC. PDE: Plano de Desenvolvimento da Educação: SAEB: ensino médio: matrizes de referência, tópicos e descritores. Brasília, 2011. Available at: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/prova%20brasil_matriz2.pdf. Acessed on: Oct. 14th. 2018.

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Tradução: Paulo Bezerra. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003[1979].

CARVALHO, R. Ensinar a ler e aprender a avaliar: avaliação diagnóstica das habilidades de leitura. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2018.

CRESWELL, J. W. Investigação Qualitativa e Projeto de Pesquisa: escolhendo entre Cinco Abordagens. Penso Editora, 2014.

DELL´ISOLA, R. L. P. Leitura: inferências e contexto sociocultural. Belo Horizonte: Formato Editorial, 2001.

DELL’ISOLA, R. L. P. A interação sujeito-linguagem em leitura. In: MAGALHÃES, I. (Org.). As múltiplas faces da linguagem. Brasília: UNB, 1996. p. 69-75.

FARACO, C. A. Linguagem & Diálogo: as ideais linguísticas do Círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

KATO, M. A. O aprendizado da leitura. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

KINTSCH, W.; RAWSON, K. A. Compreensão. In: SNOWLING, M. J.; HULME, C. (Org.). A ciência da leitura. Tradução Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Penso, 2013. p. 227-244.

KLEIMAN, A. Texto e Leitor: Aspectos Cognitivos da Leitura. 4. ed. Campinas, SP: Pontes, 2007.

KLEIMAN, A. Oficina de leitura: teoria e prática. 15. ed. Campinas: Pontes, 1996.

KOCH, I. V.; ELIAS, V. M. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3.ed. São Paulo: Contexto, 2015.

LEFFA, V. J. Aspectos da leitura: uma perspectiva psicolinguística. Porto Alegre: Sagra & Luzzatto, 1996.

LIMA, F. H. R. O desenvolvimento de habilidades de leitura e competências linguístico-discursivas em alunos do 5º do Ensino Fundamental. 216f. Thesis (Master’s Degree in Literature) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2017.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MARCUSCHI, L. A. Exercícios de compreensão ou copiação nos manuais de ensino de língua? Em Aberto, Brasília, v. 16, n. 69, 1996.

MENEGASSI, R. J. O leitor e o processo de leitura. In: GRECO, E. A.; GUIMARÃES, T. Braga. (Org.). Leitura: aspectos teóricos e práticos. Maringá, PR: Eduem, 2010. p. 35-59.

MENEGASSI, R. J.; ANGELO, C. M. P. Conceitos de leitura. In: MENEGASSI, R. J. (Org.)

Leitura e ensino. 2. ed. Maringá: Eduem, 2010. p. 15-40.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MOITA LOPES, L. P. Oficina de Linguística Aplicada. Campinas: Mercado de Letras. 1996.

OLIVEIRA, C. M. O ensino de leitura e o processo inferencial: interfaces com a formação de professor e com as avaliações externas. 111f. Thesis (Master”s Degree in Linguistics) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2019.

PILOTO, M. C. Leitura: uma proposta de avaliação. 184f. Thesis (Master’s Degree in Linguistics) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

SCLIAR-CABRAL, L. Processos psicolinguísticos de leitura e a criança. Letras de Hoje, v. 19, n. 1, p. 7-20, 1996.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SPINILLO, A. G.; HODGES, L. V. S. D. Análise de Erros e Compreensão de Textos: Comparações entre Diferentes Situações de Leitura. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 28, n. 4, p. 381-388. 2012.

SPINILLO, A. G.; MAHON, E. R. Compreensão de texto em crianças: comparações entre diferentes classes de inferência a partir de uma metodologia on-line. Psicol. Reflex. Crit., v. 20, n. 3. 2007.

VERÍSSIMO, L. F. Aprenda a chamar a polícia. s/a. Available at: https://www.itatiaia.com.br/blog/jose-lino-souza-barros/aprenda-a-chamar-a-policia-texto-de-luis-fernando-verissimo. Acessed on: Aug. 7th, 2021.

VIDAL ABARCA, E. MARTINEZ RICO, G. Por que os textos são tão difíceis de

compreender? As inferências são a resposta. IN: TEBEROSKY, A. et al. (Orgs.). Compreensão de Leitura: a língua como procedimento. Porto Alegre. Artmed, p.139-153, 2003.

VOLOCHÍNOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Translated from French by Michel Lahud and Yara Frateschi Vieira. 9. ed. São Paulo: Hucitec, 2012[1929].

VOLOSHÍNOV, V. N. Discurso na vida e discurso na arte (sobre poética sociológica). Translation by Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza [for didactic purposes]. English Version from I. R. Titunik Russian source, 1976[1926].

Downloads

Publicado

2022-04-11

Como Citar

FUZA, Ângela F.; GOMES, A. F. P. . Leitura e processo inferencial: um estudo com o gênero crônica no ensino médio. Signótica, Goiânia, v. 34, 2022. DOI: 10.5216/sig.v34.70247. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sig/article/view/70247. Acesso em: 26 jun. 2022.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos