Leituras cruzadas sobre Cruz e Sousa, poeta órfico (Crítica, narrativa, teatro...)

Palavras-chave: Poesia brasileira, Simbolismo, Modernidade, Leitura crítica, Ficção

Resumo

O catarinense Cruz e Sousa não é um poeta de vanguarda, formado sob a ruidosa ruptura com o passado. Ao contrário: sua formação é a Modernidade contraditória do século XIX, cuja pluralidade estética é perceptível em seu projeto ético-poético, sobretudo no que concerne ao Simbolismo e ao Decadentismo, que em suas mãos tingem-se de desconcertante originalidade. Este ensaio, partindo da poesia madura de Cruz e Sousa, leitor de Baudelaire & outros, almeja estudar o modo como nosso poeta foi lido por alguns de seus pares, em termos de crítica, narrativa, teatro etc.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antônio Donizeti Pires, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Araraquara, SP, Brasil.

Área de Literatura Brasileira / Departamento de Literatura / FCL - UNESP/Araraquara

Linhas de pesquisa: Teorias e crítica da poesia / História literária e crítica

Referências

ARISTÓTELES. O homem de gênio e a melancolia: o problema XXX, 1. Tradução do grego, apresentação e notas Jackie Pigeaud. Tradução Alexei Bueno. Rio de Janeiro: Lacerda, 1998.

ASSIS, M. de. Ideal do crítico. In: ASSIS, M. de. Crítica literária. São Paulo: Mérito, 1959. p. 11-19.

BANDEIRA, M. Apresentação da poesia brasileira – seguida de uma antologia. Posfácio Otto Maria Carpeaux. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

BERNABÉ, A.; CASADESÚS, F. (Coords.). Orfeo y la tradición órfica: un reencuentro. Madrid: Akal, 2008, v. 2.

BERNABÉ, A.; CASADESÚS, F.; SANTAMARÍA, M. A. (Eds.). Orfeo y el orfismo: nuevas perspectivas. Madrid: UCM, 2006.

BERNABÉ, A.; JIMÉNEZ SAN CRISTÓBAL, A. I. Instrucciones para el Más Allá: las laminillas órficas de oro. Apéndice iconográfico de Ricardo Olmos. Ilustraciones de Sara Olmos. Madrid: Ed. Clásicas, 2001.

CAROLLO, C. L. (Seleção e apresentação). Decadismo e simbolismo no Brasil: crítica e poética. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos; Brasília: INL (MEC), 1980, v. 1.

CAROLLO, C. L. (Seleção e apresentação). Decadismo e simbolismo no Brasil: crítica e poética. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos; Brasília: INL (MEC), 1981, v. 2.

MURICY, A. Panorama do movimento simbolista brasileiro. 3. ed., revista e ampliada. Prefácio João Alexandre Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 1987a, v. 1, (Textos, 6).

MURICY, A. Panorama do movimento simbolista brasileiro. 3. ed., revista e ampliada. Prefácio João Alexandre Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 1987b, v. 2, (Textos, 6).

SILVEIRA, T. da. O emparedado. In: NASCIMENTO, A. do. Dramas para negros e prólogo para brancos: antologia de teatro negro-brasileiro. Rio de Janeiro: Teatro Experimental do Negro, 1961. p. 375-417.

SOUSA, J. da C. e. Obra completa. Organização Andrade Murici. Atualização e notas Alexei Bueno. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995.

VÍTOR, N. O poeta negro. ‘A cidade de ouro’. In: VÍTOR, N. Prosa e poesia. Apresentação Tasso da Silveira. Rio de Janeiro: Agir, 1963 (Nossos Clássicos, 74). p. 86-87.

WAMOSY, A. Poesia completa. Porto Alegre: EDIPUCRS/Instituto Estadual do Livro/Alves, 1994.

Publicado
05-05-2020
Como Citar
Pires, A. D. (2020). Leituras cruzadas sobre Cruz e Sousa, poeta órfico (Crítica, narrativa, teatro.) . Signótica, 32. https://doi.org/10.5216/sig.v32.58165
Seção
Estudos Literários