Intertextualidades explícitas e intertextualidades implícitas

Palavras-chave: Intertextualidade, Intertextualidade explícita, Intertextualidade implícita, Relações intertextuais

Resumo

Investindo em uma análise bibliográfica, objetivamos relacionar as noções
de implicitude/explicitude das intertextualidades, a partir do trato dado a
esses conceitos em Piègay-Gros (2010) e Koch (2009). A primeira divide as
intertextualidades em: por copresença (alusão – plágio [implícitas], referências
– citação [explícitas]) e por derivação; já a segunda estuda diversas categorias
de intertextualidades, dentre elas as explícitas (fonte do intertexto presente) e
as implícitas (fonte do intertexto ausente). Em Koch (2009), portanto, a noção
de explicitude/implicitude está relacionada à presença/ausência de referência
à autoria do texto-fonte do intertexto. Enquanto em Piègay-Gros (2010), são
considerados fatores como marcas tipográficas e efeitos de sentidos que as
intertextualidades acarretam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADAM, Jean-michel. A lingüística textual: uma introdução à análise textual dos discursos. São Paulo, Cortez, 2008.

AUTHIER-REVUZ, Jacqueline. Heterogeneidade(s) enunciativa(s). Cadernos de Estudos Linguísticos, v. 19, n. 9, p. 25-42, 1990.

BARTHES, Roland. A morte do autor. In: BARTHES, Roland. O rumor da língua, número da edição. São Paulo, Martins Fontes, 2004.

BRITO, Mariza Angélica Paiva; FALCÃO, Maria Dayanne Sampaio; SOUZA

SANTOS, José Elderson de. Apelo a um exterior: as alusões como estratégias

argumentativas/the appeal to an exterior: allusions as argumentative strategies.

Revista de Letras, Curitiba, v. 2, n. 36, p. 23-35, 2017.

CARLOS, Josely Teixeira. Muito além de apenas um rapaz latino-americano vindo do interior: investimentos interdiscursivos das canções de Belchior.

278 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Programa de Pós- Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2007.

CARVALHO, Ana Paula Lima de. Intertextualidades estritas e amplas. 2018. 131 f. Projeto de Tese (Doutorado em Linguística). Programa de Pós-

Graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães; BRITO, Mariza Angélica Paiva. Intertextualidades, heterogeneidades e referenciação. Linha D’Água, São Paulo, v. 24, n. 2, p. 83-100, 2011.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães; BRITO, Mariza Angélica Paiva. Intertextualidade e psicanálise. Calidoscópio, São Leopoldo, v. 10, n. 3, p. 310-320, 2012.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Os sentidos do texto. São Paulo, Contexto, 2012.

CHRISTOFE, Lilian. Intertextualidade e plágio: questões de linguagem e autoria. 1996. 193 f. Tese (Doutorado em Linguística). Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996,

FARIA, Maria da Graça dos Santos. Alusão e citação como estratégias na construção de paródias e paráfrases em textos verbo-visuais. 2014. 118 f.

Tese (Doutorado em Linguística). Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.

FOUCAULT, Michel. O que é um autor?. In: FOUCAULT, Michel. Bulletin de la Societé Française de Philosophic, 63º ano, n. 3, p. 73-104, julho-setembro de 1969. (Societé Française de Philosophie, 22 de fevereiro de 1969; debate

com M. de Gandillac, L. Goldmann, J. Lacan, J. d’Ormesson, J. Ullmo, J. Wahl.).

GENETTE, Gérard. Palimpsestos: a literatura de segunda mão. Extratos traduzidos por Cibele Braga; Erika Viviane Costa Vieira; Luciene Guimarães; Maria Antônia Ramos Coutinho; Mariana Mendes Arruda; Mirian Vieira. Belo

Horizonte: Viva Voz, 2010.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas S.A. 2002.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Introdução à linguística textual: trajetória e grandes temas. São Paulo, Martins Fontes, 2009.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender os sentidos do texto. São Paulo, Contexto: 2012.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça; BENTES, Anna Christina.; CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Intertextualidade: diálogos possíveis. São Paulo, Cortez, 2008.

KRISTEVA, Julia. Introdução à semanálise. Tradução de Lucia Helena França Ferraz. Editora Perspectiva, 2005.

NOBRE, Kennedy Cabral. Critérios classificatórios para processos intertextuais. 2014. 128 f. Tese (Doutorado em Linguística). Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.

OLBRECHTS-TYTECA, Lucie; PERELMAN, Chaïm. Tratado de Argumentação: a nova retórica. Tradução de Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. São Paulo, Martins Fontes, 2005.

PIÈGAY-GROS, Nathalie. Introduction à l’intertextualité. Paris: Dunod, 1996. Traduzido por Mônica Magalhães Cavalcante; Mônica Maria Feitosa Braga Gentil; Vicência Maria Freitas Jaguaribe. Interseções, Rio de Janeiro, n. 1, p. 220-244, 2010.

SANTOS, José Elderson de Souza. As intertextualidades explícita e implícita no discurso político. Ao Pé da Letra, Pernambuco, v. 18, n. 2, p. 119-137, 2016.

SOUZA SANTOS, José Elderson de. Plágio como processo intertextual. 2018. 76 f. Projeto de Dissertação (Mestrado em Linguística). Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

Publicado
02-12-2019
Como Citar
Souza Santos, J. E. de, & Nobre, K. C. (2019). Intertextualidades explícitas e intertextualidades implícitas. Signótica, 31. https://doi.org/10.5216/sig.v31.56809
Seção
Estudos Linguísticos