A dupla habilitação no curso de Letras: implicações linguísticas e formadoras

Autores

  • Elisandra Rios da Silva Pamponet Duarte Universidade Estadual de Goiás (UEG), Câmpus CSEH, Anápolis, Goiás, Brasil
  • Helvio Frank Oliveira Universidade Estadual de Goiás (UEG) Câmpus CSEH, Anápolis, Goiás, Brasil http://orcid.org/0000-0002-0553-8075

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v30i4.51866

Palavras-chave:

Curso de Letras. Dupla habilitação. Formação docente.

Resumo

Esta pesquisa objetiva problematizar aspectos inerentes à dupla habilitação obrigatória no curso de Letras da Universidade Estadual de Goiás, discutindo suas implicações linguísticas e formadoras para futuros professores de língua portuguesa e estrangeira (inglês). Um estudo de caso, apoiado em uma pesquisa documental e subsidiado por teorias de formação de professores de línguas (ALMEIDA FILHO, 2004; CELANI, 2010; PAIVA, 2003; 2004; 2005; QUADROS-ZAMBONI, 2015), foi conduzido, primeiramente, com formandos de 2017 de todos os campi da UEG que têm o curso de Letras (Português/Inglês) e, em um segundo momento, restringiu-se a especificidade a um desses campi instalado no interior goiano. Durante os estudos, percebemos que a habilitação dupla promove algumas (in)viabilidades em seu processo de formação docente, necessitando de reflexões críticas por parte das instâncias responsáveis pela elaboração das políticas de formação para que esse processo formativo se aperfeiçoe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisandra Rios da Silva Pamponet Duarte, Universidade Estadual de Goiás (UEG), Câmpus CSEH, Anápolis, Goiás, Brasil

Professora efetiva da UEG.

Helvio Frank Oliveira, Universidade Estadual de Goiás (UEG) Câmpus CSEH, Anápolis, Goiás, Brasil

Professor Efetivo da Universidade Estadual de Goiás

Downloads

Publicado

2018-12-03

Como Citar

DUARTE, E. R. da S. P.; OLIVEIRA, H. F. A dupla habilitação no curso de Letras: implicações linguísticas e formadoras. Signótica, Goiânia, v. 30, n. 4, p. 675–701, 2018. DOI: 10.5216/sig.v30i4.51866. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sig/article/view/51866. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigo