Produção da duração vocálica de pares mínimos encerrados por [s] e [z] do inglês (L2 por aprendizes porto-alegrenses

Autores

  • Patrick Santos Batista Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Ubiratã Kickhöfel Alves Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v30i4.51612

Palavras-chave:

Distinção de sonoridade. Desenvolvimento fonético-fonológico de L2. Produção da duração vocálica.

Resumo

Neste estudo, investigamos como aprendizes brasileiros de Inglês estão produzindo, em termos de duração vocálica que precede a consoante final, pares mínimos encerrados pelas fricativas [s] e [z], tais como “niece” [s] vs. “knees” [z]. Os dados da pesquisa foram obtidos a partir da leitura em voz alta de 60 frases-veículo, realizada por 20 participantes, divididos em dois grupos de proficiência. As análises dos valores absolutos e relativos de duração vocálica revelaram que os aprendizes estão produzindo vogais mais longas quando precedentes à fricativa final sonora [z], independentemente de seu grupo de proficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrick Santos Batista, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Graduando em Letras - Português/Inglês - pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ubiratã Kickhöfel Alves, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Professor do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Downloads

Publicado

2018-12-03

Como Citar

BATISTA, P. S.; ALVES, U. K. Produção da duração vocálica de pares mínimos encerrados por [s] e [z] do inglês (L2 por aprendizes porto-alegrenses. Signótica, Goiânia, v. 30, n. 4, p. 619–646, 2018. DOI: 10.5216/sig.v30i4.51612. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sig/article/view/51612. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigo