O poeta enrustido: narrativa e poesia em Nossos Ossos, de Marcelino Freire

Autores

  • Jéssica Domingues Angeli Universidade Estadual Paulista (UNESP). Faculdade de Ciências e Letras , Assis, São Paulo, Brasil
  • Guacira Marcondes Machado Universidade Estadual Paulista (UNESP). Faculdade de Ciências e Letras , Assis, São Paulo, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/sig.v29i1.43802

Palavras-chave:

Narrativa poética. Nossos Ossos. Marcelino Freire. Literatura brasileira contemporânea.

Resumo

A narrativa poética, conforme definição de Jean-Yves Tadié, é um gênero híbrido, uma narrativa em prosa cujos procedimentos de ação e efeito remetem ao poema: contém elementos da narrativa – autor, narrador, protagonista, enredo, espaço e tempo – e do poema: estrutura, mito, estilo e, em menor escala, ritmo, sonoridade e repetição. A partir dessa definição, o trabalho analisará Nossos Ossos, primeiro romance de Marcelino Freire, publicado em 2013, observando como o narrador-protagonista do romance e sua viagem até Pernambuco, conferem traços da narrativa poética à obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-06-13

Como Citar

ANGELI, J. D.; MACHADO, G. M. O poeta enrustido: narrativa e poesia em Nossos Ossos, de Marcelino Freire. Signótica, Goiânia, v. 29, n. 1, p. 218–241, 2017. DOI: 10.5216/sig.v29i1.43802. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sig/article/view/43802. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigo